Botsuraku Yotei Webnovel 23

Posted




Capítulo 23



— Estou tão cansado… — O cansaço do dia anterior pulsava através de meu corpo. — Acho que devo ter exagerado com as escavações…
Hoje seria o primeiro dia de aula e nos permitiriam experimentar cada uma das disciplinas opcionais. De alguma forma fui capaz de arrastar o meu corpo até a sala de aula do primeiro período, onde aprenderia Herbologia e, já que tinha muito interesse nessa área, optei por essa disciplina sem qualquer hesitação.
No final, aproximadamente 30 estudantes estavam reunidos, sendo que, a maioria era composta por garotas e a aula inclusive seria ministrada por uma professora.
— Muito obrigada por terem vindo. Meu nome é Amari, estarei lecionando a disciplina de Herbologia.
Com uma voz de boa sonoridade, a instrutora que se apresentou como Amari parecia estar na casa dos 30 anos, com óculos de lentes grossas em sua face calorosa.
— Herbologia possui muitos aspectos acadêmicos, assim como práticos, então, o que vocês aprenderão poderá ser muito útil daqui em diante.
Ela estava certa, essa era uma das razões pelas quais decidi tomar essa aula. Eu não tinha interesse em aprender teoria e coisas afins, o que queria era obter um conhecimento que pudesse ser aplicado.
Um bom mercador poderia ser capaz de criar produtos que iriam render muito mais do que as ervas em si, e este conhecimento poderia ser facilmente adquirido nesta disciplina.

— Ervas são bens comuns que qualquer um pode obter pagando um pequeno preço, mas, pessoalmente, objetivo criar uma larga variedade que qualquer pessoa possa cultivar de graça. Para aqueles interessados, mais tarde estarão sendo abertas inscrições para um seminário extra. — Amari-sensei mostrou um sorriso gentil.
Sim, ela de fato mostrava ser uma pessoa afetuosa, bem diferente da filha de um certo primeiro ministro...
— Dito isso, espero que todos possam comparecer, pois a primeira aula será gratuita e me faria muito feliz se todos pudessem estar presentes no curso formal também.


◇◇◇

De todo modo, as aulas normalmente ocorreriam na ala norte da escola, no primeiro andar, mas nós seguimos as instruções da Sensei para chegarmos no herbário. Em seu interior, havia diversas ervas que precisavam ser cultivadas na sombra, enquanto as demais estavam do lado de fora. Ah, e, aparentemente, esta era a única sala de aula com saída direta para o terreno da escola.
Diferentes tipos de ervas estavam crescendo nas paredes e no teto, enquanto uma larga variedade se alastrava no jardim.
Eles realmente sabiam aproveitar bem o terreno que foi cedido, não é mesmo? — A variedade era tão grande que seria impossível ver tudo em apenas uma hora.
A uma certa distância, eu podia ver algo parecido com uma estufa e fiquei bem animado imaginando que tipo de plantas estavam sendo cultivadas ali.
— Com licença, você não seria o... Kururi Helan, correto?
Quando eu estava distraído com as plantas, um garoto, cujo rosto permanecia quase todo coberto por um capuz, veio falar comigo.
Ele era baixo e com um aspecto bastante pálido e ...  Ugh! Como fedia! Um intenso cheiro de ervas parecia estar emanando dele.
Dando o melhor para não respirar pelo nariz, tentei responder a ele.
— Sim, eu mesmo.
— Meu nome é Toto Gapp[1] e tenho estado interessado em você faz algum tempo.

— A-ah, é me-mesmo...?  

Isso é mal, não consigo registrar a nossa conversa em minha cabeça. E... Ugh! Não consigo evitar o cheiro!
— Oh, me desculpe, você está agindo assim por causa do cheiro, certo? Me dê um minuto para tirar o meu manto.
Após dizer isso, Toto removeu o capuz e o colocou num canto da sala. Quando ele saiu, tentei respirar normalmente.
O cheiro sumiu!
— Normalmente uso isso para afastar as pessoas, costumo ir a lugares onde gente desagradável se reúne.
Afastar as pessoas?! — Era a primeira vez que via alguém fazendo isso. — Então, você precisa de algo?
— Sim, fiquei surpreso em ver que você tem interesse em ervas. Se quiser, gostaria de dar uma olhada na variedade que estou desenvolvendo no momento?
— Desenvolvendo? Espere... está me dizendo que você é capaz de cultivar novas espécies?
— Fufufu, certamente, e por causa disso sou um gênio nessa área. Venha, vamos dar uma olhada.
Ele me guiou a uma área com diversas instalações alinhadas até que, eventualmente, chegamos em uma delas. Lá, havia plantas suspensas no teto, plantadas no chão próximas umas das outras, ervas do tamanho da palma de minha mão e outras com quase a minha altura. Todas eram ervas que nunca tinha visto antes.
— Incrível, não é? Afinal, eu mesmo criei cada uma delas.
— Cada uma?!
— Sim, mas as que se encontram na estufa são todas da Amari-sensei.
— Ainda assim é incrível.
Tentei dar uma breve olhada nas plantas ao redor e de fato nunca as tinha visto antes, além de algumas possuírem uma beleza que rivalizaria com a de qualquer flor.
Eu não consegui resistir à vontade de tocá-las um pouco, suas folhas eram bem suaves.
— Está tudo bem tocar, mas não recomendo cheirá-las. Depois que você for para a cama, pode ser que causem algum efeito colateral. Ainda estou desenvolvendo-as, então não tive tempo de experimentá-las clinicamente usando moscas.
Estava realmente tudo bem fazer experimentos clínicos na escola?! Quem lhe deu a permissão?! Isso foi autorizado?!
... Indo até a próxima planta, eu tentei tocar as suas folhas.
— Ah, essa você pode tocar, mas não tente comer. Uma única folha é o suficiente para derreter todos os seus órgãos internos. De toda forma, já terminei os testes clínicos nessa.
Eu imediatamente tirei a mão fora.
MAS POR QUE VOCÊ FEZ ALGO ASSIM?!! — Você disse que testava em moscas, certo? Não foi seguro para elas?
— Não mesmo, elas praticamente subiram aos céus apenas com o cheiro. A pessoa em que testei isso levou metade de um dia para voltar do mundo dos mortos.
ESSA COISA É PERIGOSA!!!
Então Toto me entregou uma outra erva.
— Esta é diferente das outras, sendo muito útil à humanidade. Por exemplo, você sabia que há ervas capazes de curar resfriados e outras doenças?
— Claro.
Me dizendo para esperar, ele foi até a parte de trás da instalação e retornou com algumas ferramentas... E, então, subitamente, começou a cavar o chão.
— Deixe-me ajudar.
— Não, estou bem.
Depois de algum tempo, me mostrou suas mãos cobertas de terra e, dentro dela, havia algum tipo de raiz crescendo disforme.
— Se você comer isso, sentirá seu corpo transbordando de energia. É algo muito útil para pacientes que necessitam de um fortalecimento temporário para cirurgias e outras operações.
— Isso não é incrível? Você tem mais destas?
— Infelizmente não tenho muitas disponíveis. Eu tentei desenvolver ervas com o mesmo efeito e de rápido crescimento, mas todas acabaram em falhas. Na verdade, se você comer ela... Bem, podemos dizer que ainda não está terminada.
Me pergunto por qual motivo ele está fazendo tudo isso? Hmm, acabei ficando um pouco interessado.
— Também desenvolvi uma variedade de grama de rápido crescimento e que pode ser vendida por um preço decente.
— Wow. — Eu quero, me dê!
— ... E com isso termino minha longa introdução. Então, vamos falar sobre o tema pelo qual me aproximei de você.
— Tudo bem, diga.
— Em poucas palavras, estou interessado em seu clube, Kururi-san. Você tem aproximadamente 50 membros, não é? Eu queria testar as minhas ervas em alguns deles e, obviamente, irei pagar por esse serviço.
Então, é esse tipo de coisa, hein? — Rejeitado. Sem discussão. Foi mal, mas isso é muito perigoso, então, por que você não apenas continua com seus experimentos como tem feito até agora?
— Sou apenas uma pessoa, não posso fazer tudo por mim mesmo, sem contar que isso não me fornece dados suficientes.
— Ainda assim, não posso lhe entregar o meu pessoal. Isso seria irresponsabilidade minha como líder.
— Tch, achei que você entenderia...  —  Toto parecia de alguma forma deprimido.
Sua expressão estava para baixo, mas eu não podia ceder.
— Por que você está tão desesperado em desenvolver suas ervas?
— ...
— Está tudo bem se você não quiser falar, mas, me dê licença...
— ... É por causa do dinheiro. Eu ainda sou um nobre, mesmo que seja de um pequeno território nos confins do reino, mas como sou o quarto filho é necessário encontrar meu próprio meio de sustento para o futuro. Achei que por você estudar ferraria, seria capaz de me entender... Mas parece que me enganei.
Te entendo! Apenas não posso falar a razão! Eu tenho batido o ferro quente todo este tempo, para que não fique envergonhado no futuro! Vejam só, nós somos companheiros! — Por uma razão como essa...
— Vá em frente, ria. Vocês que foram mimados são todos iguais. — Parecia que a sua depressão havia chegado ao clímax.
— Ei, qual a sua margem esperada de lucro?
— ... O que?
— Quanto você ganha com as suas ervas?
— ... Eu não sei, ainda não vendi nenhuma. A única coisa que vendi foi a grama de agora a pouco.
— Bem, contanto que isso não cause problemas mentais nas pessoas, acho que estará tudo bem.
— Qual seu pensamento sobre uma erva que abre todos os poros do corpo?
O que diabos ele disse?! — Eu involuntariamente gritei em minha mente. — Talvez... seja um pouco extremo.
— Concordo, mas é assim que algumas delas funcionam.
— Por hora, vou fazer uma lista de suas ervas medicinais que acredito que possam vender bem. Serei seu patrocinador.
— ... O que? Por quê?!
— Bem, isso é algo que lhe direi algum dia.
— Entendi. Quando você acha que podemos começar a vender? Eu estou bem em começar amanhã.
— Provavelmente é melhor não vender essas na escola, já que você ainda não está preparado para isso e não temos permissão. Daqui a três meses, durante as férias de verão, venha para o território Helan e eu lhe darei todas as permissões e coisas necessárias para trabalhar. Por hora, apenas continue desenvolvendo as suas ervas e lhe darei uma mão depois das aulas. Você não ficará desapontado, pois trabalharei muito.
— Muito obrigado!! Deixe o desenvolvimento para mim, Kururi!
Apesar de sua aparência doentia, achei que aquele havia sido o melhor sorriso que tinha dado hoje.
— Você sabe sobre as fontes termais do meu território?
— É claro, e aposto que qualquer um aqui sabe disso.
— Várias pessoas, especialmente as mulheres casadas vão até elas em busca de rejuvenescer a pele. O que você acha? Isso não lhe cheira a ouro?
— Sim, cheira e muito.
— O que nós precisamos agora são ervas capazes de embelezar a pele! Isso é o que você precisa preparar, Toto-kun!
— Ervas de embelezamento... ervas capazes de tornar as pessoas mais bonitas...
— Sim, essas são as ervas que irão nos trazer muito ouro. As que não tiverem quaisquer efeitos colaterais, é claro.
— Sem efeitos colaterais? Isso é pouco razoável.
— Pouco razoável? Sim, mas nada comparado à demanda das mulheres casadas!
— ...Verdade.
Toto estava roendo suas unhas enquanto pensava. Ele parecia já ter imaginado uma forma de cultivá-las.
— Vou ver o que posso fazer, Kururi. Se você tiver qualquer outra ideia, tenha certeza de me falar.
— Se eu tiver, lhe direi, mas, por hora, estarei vindo aqui algumas vezes por semana para ajudar com o processo. Nosso objetivo agora é desenvolver um produto até as férias, daqui três meses.
— Entendido!
E, assim, ainda com aspecto doentio, Toto estava com seu espírito elevado.
Me pergunto por que quando as pessoas pensam em ouro sempre ficam mais vívidas… Acho que nunca saberei.

Se você gostou deste capítulo, CLIQUE AQUI, solucione o Captcha e aguarde

por 5 segundos, assim estará apoiando a Anime X Novel!





Share on Google+

Faça uma busca aqui por mais Novels e Mangás em nossos Sites Parceiros!

You Might Also Like

Comment Now

0 comentários