Isekai Maou Light Novel Online 1-1-4

Posted




Isekai Maou Light Novel Online Vol 1

[Capítulo 01: Sendo Invocado]



Parte 4
Depois de passar por planícies rochosas, eles finalmente avistaram um grande rio que ia de norte a sul, bem como uma robusta ponte feita de pedra.
Aquela era a [Ponte Ulug], localizada a oeste da Cidade Fronteiriça de Faltra. Após cruzá-la, chegariam a uma fortaleza construída sob o aspecto de um portão de castelo e além dela estaria à cidade propriamente. No jogo, a partir da Torre da Estrela Cadente até Faltra, levaria cerca de três minutos para percorrer todo o caminho, porém levou mais de três horas de caminhada para chegarem até aqui.
“Bem, não é como se existisse algum jogo de merda que faria os jogadores perderem três horas para ir de um mapa a outro. Muito menos alguém idiota o suficiente para construir uma fortaleza em um lugar que levaria apenas três minutos a pé para chegar.”
No cenário do jogo, a Ponte de Ulug foi uma das linhas de defesa estabelecidas para proteger a Cidade de Faltra. A razão disso seria devido a presença da Floresta Comedora de Homens, que se estendia a oeste, fazendo parte do território dos Seres Demoníacos, e onde monstros de alto nível costumavam surgiu. Este lugar foi usado como base onde os jogadores poderiam restaurar seu HP e MP, enquanto aguardavam a chegada de seus companheiros para desafiarem o labirinto presente na floresta, as [Ruinas da Floresta Primordial].
“Apesar de que eu simplesmente ignorava todo mundo e ia para o labirinto sozinho!”
Como a Ponte Ulg era usada nesse mundo? Ele não tinha visto qualquer aventureiro ao redor. Como estava localizava a sudeste da cidade, a Ponte Ulg servia inclusive de ponto de passagem para as mais diversas finalidades. Havia numerosos soldados fortemente armados, deixando claro que esta era uma importante fortificação. Apesar da aparência pesada de suas armaduras, os soldados não demonstravam letargia, pelo contrário sua vigilância era bastante atenta.
Diablo cruzou a ponte e tentou atravessar a fortaleza quando de repente—
— Ei! Alto lá! — Gritou um homem carregando uma Alabarda em sua mão direita, com apenas a metade superior do corpo protegida pela armadura.
Não usar proteção para as pernas foi algo comum para membros da infantaria. Por causa disso, a porção superior de armadura que eles vestiam poderia ter uma camada bastante grossa de metal.
O soldado que o chamou pertencia a Raça [Humana]. Seu cabelo marrom claro era curto e espetado nas pontas, possuindo olhos largos e uma expressão de ansiedade no rosto. Agora que Diablo o observou bem, este soldado parecia ser bastante jovem, ou quem sabe seria melhor dizer que ele ainda era um adolescente.
“Me pergunto que tipo de função os guardas desempenham neste mundo.”
De volta ao jogo, eles agiriam da mesma forma que a polícia e aplicariam punições a qualquer Aventureiro que cometesse crimes. Por exemplo, se um Jogador matasse outro fora de combate ou roubasse alguma coisa, teria então seu nome marcado em vermelho, como sinal de que se tratava de um [Criminoso]. Caso você tentasse aproximar-se de uma cidade ou fortaleza enquanto nesse estado, os guardas imediatamente o cercariam e iriam ataca-lo até a morte.
“Não fiz nada que pudesse me tornar um criminoso, fiz?”
Sua atuação de Rei Demônio, como o próprio nome já dizia, nada mais era que apenas uma atuação. Não era como se ele estivesse fazendo algo de ruim!
Como não havia uma tela de exibição para seu nome, ele não sabia ao certo se estava marcado como criminoso ou não. No entanto, em Cross Reverie não existiu qualquer evento onde um soldado NPC pararia um jogador sem motivo e por essa razão, Diablo ficou consideravelmente abalado por isso.
Se ele fraquejasse em sua resposta aqui, então não haveria o menor sentido em todo aquele espetáculo que fez na frente das garotas que estavam atrás dele. Diablo precisava responder dando o melhor de si!
— Você se atreve a me parar? Espero que tenha uma boa razão para ter se colocado no caminho de Diablo!
O soldado vacilou por um instante, deixando óbvio que ele tinha sido afetado pelo tom de Diablo.
— Be-Bem, é que... Nós estamos verificando as pessoas que passam por aqui em direção a Faltra e eu nunca te vi antes... Pode ser um pouco rude, mas eu gostaria de saber quem é você e o que veio fazer aqui.
— ...Ele é minha Invocação... ou algo assim. As circunstâncias são um pouco complicadas...
Rem respondeu por debaixo do braço de Diablo. Por alguma razão, ela estava escondendo o seu corpo com a capa dele, deixando visível apenas a face. Do mesmo modo que Rem, Shera mostrou apenas o rosto e falou também.
— Já falei você está enganada! Fui eu quem invocou ele!
— Ah, são Rem-san e a Elfa Shera... mas uma Invocação? Nunca ouvi falar de alguma com aparência humana antes. Muito menos uma que pudesse falar também?
Rem virou a cabeça para longe.
— ...Com minha habilidade, sou capaz de convocar Invocações que jamais foram vistas antes. Você... não está duvidando de minha palavra, está?
Ela tentou usar um tom coercitivo, mas já que apenas a sua cabeça podia ser vista e com as orelhas de gato abanando, sua figura estava mais para um filhote assustado. Foi uma cena meiga.
Sendo questionado dessa maneira, o guarda acabou ficando um pouco nervoso.
— N-não, eu jamais duvidaria de sua capacidade, Rem-san! Mas, você sabe... a sua invocação não está usando o colar de escravidão no pescoço ou algo do tipo...
Diablo se virou e agarrou as duas garotas escondidas atrás dele pela nuca.
— Você quer ver o colar, não é?
Feiticeiros costumam ser vistos como pessoas de baixa aptidão física, mas uma vez que se chegue ao nível 150 como ele, levantar duas garotas não foi qualquer problema.
— O-O QUÊ!?
— PARE! POR FAVOR, PARE!
As duas resistiram, mas Diablo foi capaz de tirá-las de trás de si com pouco esforço.
 — Veja, aqui tem dois.
— COMO É QUE É!? — O guarda ficou chocado com o que viu.
Ficando com as faces completamente vermelhas, Rem e Shera tentaram esconder os colares com as mãos.
— ...Que humilhante.
— Uugh... Não é o que parece!
Ficando perplexo, o guarda acabou aumentando o tom da sua voz.
— H-hã? Mas normalmente o colar... hã!? Não fica na invocação... heim!?
— Hmph... Não me coloque no mesmo nível que as demais Invocações. Isso é desagradável. Se você insistir em continuar me chateando...
— ...Por favor, nos deixe ir.
— O que mais você quer da gente!?
Diante da pressão esmagadora de Diablo e do protesto das garotas, o jovem acabou recuando.
— Sin-Sinto muito! Podem passar, por favor!
— Ótimo, vamos indo.
— Espere, está indo muito rápido! E, enquanto estivermos com essas coisas no pescoço, tente não chamar tanta atenção!
— ...A vergonha... é insuportável... Quando chegarmos na cidade, definitivamente me librarei desse feitiço.
Ignorando a objeção delas, Diablo continuou andando. Entrando em pânico, Rem e Shera correram para alcançá-lo.
Os demais guardas e viajantes atravessando a Ponte de Ulug reagiram com o mesmo nível de choque ao avistarem o colar nos pescoços das garotas.  O rosto deles mostrava grande preocupação ao assistirem Diablo caminhando com as duas seguindo logo atrás.

◇◇◇

Faltra foi uma cidade de clima quente que recebia as bênçãos do rio nas proximidades. A população foi alegre e gentil, por essa razão, o número de Aventureiros que iria se estabelecer aqui não era pequeno — pelo menos esse foi o cenário apresentado no jogo.
A dificuldade da área ao redor estaria em torno do nível 60. Este lugar era apenas um ponto de retorno ou seria usado como base para aqueles que ainda estavam começando o modo história. Diablo pensou que se fosse para os jogadores realmente se estabelecerem aqui, então o jogo jamais avançaria...
Em todo caso, não restava dúvida de que essa era uma bela, calorosa e conveniente cidade. A muralha externa foi construída com pedras e assumia o formato de um octógono. A água do rio foi canalizada para formar um fosse ao redor da cidade que também seguia para dentro, dividindo-a ao meio.
A muralha e o fosso eram medidas de defesa contra os monstros, mas animais selvagens também ofereciam riscos para as pessoas, causando inclusive danos às plantações. Entretanto, diante de inimigos anormalmente poderosos como Seres Demoníacos e Invocações, eles seriam de pouca utilidade.
Não havia apenas o fosse e a muralha para proteger a cidade. Torres longas e finas, como antenas, foram construídas em cada quina que formava o octógono. Estas torres criavam uma barreira protetora que iria interceptar e proteger contra ataques e Seres Demoníacos. Devido a esta poderosa barreira, nenhum monstro ou Ser Demoníaco conseguiria entrar, tornando a cidade um lugar seguro — isto é, na história original do jogo.
Diablo queria chegar à ponte levadiça localizada no lado oeste da cidade. Ele era um [Demônio], que fazia parte das Raças disponíveis ao começar em Cross Reverie. De acordo com a configuração do jogo, Demônios eram uma raça de humanos que de alguma forma tiveram seu sangue misturado com o de Seres Demoníacos. Uma marca em forma de tatuagem cobriria sua face ou corpo e, embora sua força física fosse menor se comparada às demais Raças, eles se destacariam em qualquer coisa relacionada à magia.
Isso foi especialmente verdadeiro em relação ao atributo INT (Inteligência), o qual determinaria o poder dos feitiços. Esta foi a única Raça capaz de maximizar este atributo, mas como os pontos de HP e Agi (Agilidade) foram baixos, mesmo entre os Feiticeiros, eles foram um Raça que dependeria muito da proteção de seus aliados. Era bastante raro encontrar um jogador solo como Diablo utilizando um Demônio Feiticeiro como classe principal.
Devido à existência da barreira que repelia qualquer coisa relacionada aos Seres Demoníacos e armas criadas por eles, Demônios tão seriam incapazes de entrar. Por essa razão, existia portões localizados nos quatro pontos cardiais da cidade, onde qualquer um poderia atravessar. Embora a passagem seria livre no jogo, Diablo esperava por uma segurança ainda mais restrita que aquela na Ponte Ulug. Os cidadãos da cidade agora eram seres vivos, algo completamente diferente dos NPCs presentes no jogo, que apenas seguiam de acordo com a sua programação.
No momento em que eles chegaram ao portão, já estava anoitecendo. O sol poente atingindo a muralha, pintando-a de cor âmbar. As planícies por onde eles viajaram foram tingidas de vermelho, como se estivessem em chamas, tornando o cenário ainda mais belo. Rem e Shera não disseram uma palavra já que ambas estavam habituadas a esta cena que se repetia, mas Diablo foi secretamente comovido pelo que via.
O grupo atravessou a ponte levadiça e chegou até o portão onde seis soldados estavam de guarda. Virando a gola de suas camisas e tentando cobrir com as mãos o pescoço, Rem e Shera passaram pelo portão enquanto escondiam os seus colares. Desta vez ninguém tentou pará-los e, embora podiam sentir o olhar das pessoas, eles conseguiram entrar em segurança na cidade.
Continuando pela larga rua pressionada entre edifícios compostos por toneladas de pedras, Diablo decidiu seguir em direção à praça central. Este não era um hábito adquirido no jogo, mas na verdade ele simplesmente queria ver tudo ao redor. Seu objetivo era: Fazer turismo em Faltra!
Apesar de ter acabado de anoitecer, a área ao redor do portão oeste estava fervilhando de pessoas. Apenas andar se mostrou um desafio.
“Todas essas pessoas são NPCs?”
Foi um montante que jamais seria visto em Cross Reverie. Essa era uma diferença óbvia, já que um jogo onde não se poderia caminhar por causa da quantidade de NPCs não seria nem um pouco divertido. Não se tratavam de mercadores ou recepcionistas da Guilda dos Aventureiros, apenas pessoas normais que não teriam relação com qualquer missão para progredir no jogo.
Quanto as Raças presentes; havia humanos; Elfos com orelhas longas e corpos finos; Panterianos com suas orelhas triangulares; Anões com barbas grossas e orelhas de cão; Relvinas* que pareciam crianças com cauda e orelhas de coelho; e finalmente, embora não fossem muitos, Demônios, os quais possuíam marcas cobrindo a face e corpo.
Rudy: Grasswalkers, no original. Significa “Caminhantes da grama/relva”, por isso “Relvinas”.
Eles estavam vestindo de tudo, desde roupas a armaduras, carregavam bagagens, armas, andavam, conversavam ou compravam qualquer coisa que desejassem. De início, Diablo estava animado ao assistir tudo aquilo... No entanto, em verdade ele não era bom com multidões. Além disso, sua mente estava fadigada por causa de todas as novidades que tinha visto hoje.
“Não estou me sentindo bem...”
Embora ele não tenha ficado cansado fisicamente apesar de toda distância que percorreu até agora, o estresse mental começou a pesar em seus ombros. Rem, que caminhava ao seu lado com a face completamente vermelha, como se estivesse embaraçada. Enquanto escondia o pescoço, puxou uma conversa com ele.
— A-hmm...
— O que houve?
— Eu gostaria de ir... até minha pousada... — Seu rosto estava ainda mais vermelho que antes.
“Será que ela está apertada ou algo assim?”
Se fosse realmente o caso, o melhor seria evitar de perguntar o motivo.
— Tudo bem. Por sorte eu estava justamente pensando que gostaria de ir até uma pousada também.
Foi neste momento que a voz de uma pessoa chegou até os seus ouvidos.
— Aquelas não são Rem e uma Elfa, não são? Por que elas estão usando aqueles colares?
Talvez por terem parado de andar, eles subitamente se viram cercados pela multidão. Diablo podia ouvir parte das conversas que as pessoas cochichavam umas para as outras.
— (Hã? Aquelas duas não são Invocações, certo?)
— (Mas elas não estão usando o [Colar de Escravização]? Aquilo deveria ser apenas para Invocações...)
— (Não, não são só Invocações que usam. Escravos também...)
— Isso quer dizer que duas são escravas daquele cara!?
— (Shh! Não fale tão alto! Olha bem para ele, esse cara é perigoso. Ele pode ser apenas um Demônio, mas eu nunca vi um assim antes. Olha aqueles chifres... São retorcidos e parecem assustadores também...)
— (Você pode estar certo... Tornar a Rem-san como escrava, não faz dele um cara extremamente perigoso? Pode ser uma boa ideia relatar isso na Guilda dos Feiticeiros.)
— (Pelo que ouvi dizer, aquela Elfa supostamente vem de uma família muito poderosa.)
— (Ela com certeza não é uma Elfa comum... Alguma coisa deve ter acontecido para essas duas virarem escravas, não acha?)
— (Merda, ele olhou para a gente. É melhor não nos envolvermos com ele, esse cara pode ter algum envolvimento com os Seres Demoníacos.)
O conteúdo das conversas era simplesmente terrível. Ao que tudo indicava, Rem e Shera também podiam ouvir as pessoas cochichando, já que ficaram com os rostos vermelhos enquanto olhavam para baixo e inclusive seus ombros tremiam um pouco.
“Isso é um verdadeiro choque! Eu nunca imaginei que tivesse escravidão nesse mundo!”
Ele achou que elas estavam envergonhadas de terem sido atingidas pelo próprio feitiço, mas isso estava errado. Não existia escravidão no jogo então isso nunca passou por sua cabeça. Não apenas isso, mas muita gente havia repetido o nome de Rem, mostrando que ela era bastante famosa. Quanto a Shera, alguém comentou que ela fazia parte de uma família poderosa.
“Deus do céu, o que eu faço!?”
Só agora Diablo percebeu a crueldade que cometeu ao desfilar pela cidade com essas duas como escravas. Enquanto sofria com todo tipo de arrependimento, mais e mais atenção se centrava sobre eles.
— Ei, vocês duas. Por quanto tempo pretendem ficar paradas aqui? Vocês não queriam ir logo para a pousada?
Já que as pessoas tinham tomado alguma distância deles, agora estava um pouco mais fácil de continuar caminhando pela cidade.

Se você gostou deste capítulo, CLIQUE AQUI, solucione o Captcha e aguarde

por 5 segundos, assim estará apoiando a Anime X Novel!



Share on Google+

Faça uma busca aqui por mais Novels e Mangás em nossos Sites Parceiros!

You Might Also Like

Comment Now

0 comentários