Isekai Maou Lightnovel 1-1-1

Posted



Capítulo 01: Sendo Invocado



Parte 1
Os rostos de duas garotas se aproximaram.
“Ah, isso é um sonho.” – Pensou Takuma. Não importava como se olhasse, uma das garotas era definitivamente uma Elfa, já a outra, tinha orelhas pontudas no alto da cabeça, como um gato. Ambas eram mais bonitas que qualquer ser humano real.
Ainda pensando que não passava de um sonho, Takuma continuou a observá-las enquanto chegavam mais e mais perto.
De repente, ele sentiu, de forma muito realista, os lábios delas. A suavidade espalhava-se em suas bochechas. O calor que vinha de seus corpos foi suficiente para fazê-lo ter a impressão de que acabaria derretendo.
O cheiro das duas garotas, emitia uma leve doçura e conforme as ondas torrenciais destas experiências, anteriormente desconhecidas, foram batendo sobre si, ele percebeu que isso era algo que jamais poderia ter saído de sua imaginação.

E, assim, percebeu que tudo isso estava realmente acontecendo.
How to Not Summon a Demon Lord  Ilustração Lightnovel Vol 1

Tudo estava acontecendo tão rápido, que ele não foi capaz de compreender.
Takuma passou a encarar o céu, parecendo distraído.
As duas garotas agora estavam fora do seu campo de visão.
O céu que se estendia diante dele era fantasticamente azul. Esse não era o teto de seu quarto, o qual ele estava acostumado a ver e até mesmo suas roupas tinham mudado.
“Estou vestindo uma capa?”
Em vez da habitual camiseta com gola solta e bermuda esfarrapada de sempre, ele estava vestindo roupas pretas e uma capa chamativa. Em suas mãos, segurava um cajado que emanava uma aura escura como o Breu.
Ele observou o seu entorno.
Mas não importa quantas vezes checasse, definitivamente aquele não era seu quarto. Em forma octogonal, o lugar não era muito grande... com talvez cinco metros de uma ponta a outra.
Takuma estava sentado no centro, em um altar de pedra cercado por quatro pilares.
A luz que vinha das pontas dos pilares não era de fogo ou eletricidade, mas um brilho suave e fosforescente, não muito diferente daquelas encontradas nos efeitos de magia em jogos de fantasia.
Além disso, aquele vasto céu azul se estendia diante dele.
Parecia até que estava no topo de um prédio muito alto, ou talvez de uma torre, mas ele não estava sozinho. Havia outras pessoas aqui também...
As duas garotas.
Uma delas era uma Elfa.
Embora ele duvidasse de seus próprios olhos, essa era a única coisa que poderia ser dito sobre ela.
Suas orelhas eram longas e pontiagudas. Elfos eram tão bem conhecidos por esta característica particular, que se podia dizer que eles eram da raça das “orelhas pontudas”.
O cabelo dela parecia ser feito de ouro derretido, ornamentado com decorações feitas de grama. A túnica verde que usava estava amarrada com pedaços de corda, revelando sua pele de tempos em tempos.
Nas costas, ela carregava um enorme arco, com um conjunto de flechas em sua cintura.
Seus braços, pernas e pescoço eram longos e esbeltos, combinando perfeitamente com o que Takuma sabia sobre a aparência dos Elfos. No entanto, seus incrivelmente robustos e enormes peitos eram a única característica que não se encaixava nesse padrão.
Por outro lado...
Havia a garota com orelhas de gato no topo da cabeça.
Seu cabelo chegava até a cintura e era da mesma cor brilhante e escura que suas orelhas. Ela tinha um corpo magro, mas pelo pouco que podia ver de suas pernas, ficou claro que estava em ótima forma.
Suas pupilas eram estreitas, como as de um gato e com sobrancelhas altamente arqueadas, que transmitiam a sua grande força de sua vontade.
Ela encarou Takuma com um rosto inexpressivo.
Suas vestes consistiam de um colete sobre as demais roupas com um largo cinto de couro e uma saia composta por várias camadas de tecido.
Como ele estava sobre o altar, não era possível ver nada abaixo disso.
A garota de orelhas compridas era linda, e a de orelhas de gato incrivelmente meiga.
Takuma já tinha visto esses biótipos antes.
“Então, uma é uma Elfa, enquanto a outra é... uma Panteriana?”
Quando se começa a jogar Cross Reverie, você é capaz de escolher qualquer Raça que desejar para seu personagem, podendo estilizar suas características, como feições, rosto e corpo.
As duas garotas faziam parte das Raças selecionáveis n o jogo.
Elfos eram especializados em combate a distância usando arcos, enquanto Panterianos atacam rapidamente e possuem grande força física. Ou pelos menos estas eram supostamente para serem as características de cada um.
“É como se eu estivesse dentro do próprio Cross Reverie.”
Se esse era o caso, então onde estava agora?
Ele sentiu como se tivesse visto um lugar com gráficos de fundo semelhantes antes, mas não conseguia lembrar...
Takuma foi um dos maiores jogadores de Cross Reverie.
Seu conhecimento de jogo era muito superior ao de um jogador normal.
Ele tentou lembrar com fervor sobre em que edifício estava, enquanto cuidadosamente tomava seus arredores em consideração.
A sensação de realidade disso tudo não era brincadeira.
O toque da pedra.
As manchas de infiltração da água que evaporou.
As nuvens que flutuavam no céu azul infinito.
Porque ele estava tão alto, as fortes rajadas de vento faziam o som de *whooshing* à medida que passavam.
A luz do sol era mais brilhante do que qualquer monitor de PC seria capaz de exibir.
Dava para sentir cheiros também.
O vento carregava consigo o aroma de mofo e sujeira, assim como esperado de um edifício antigo.
O designe dos padrões de pedra no chão, estava espalhado por toda parte.
Que tipo de computador e monitor de alta especificação você precisaria para replicar tudo isso? As coisas pareciam tão autênticas.
Takuma pensou consigo mesmo:
“Isso é real?”
Mas ele tinha certeza de que já havia visto esses arredores no jogo antes.
A garota Panteriana murmurou algo em uma voz que foi quase
Abafada pelo vento.
— ... Com isso, o [Ritual de Invocação] deve estar acabado.
“Ela acabou de dizer ‘Ritual de Invocação’?”
Takuma de repente se lembrou do nome e propósito da torre que estava.
No MMORPG Cross Reverie, havia numerosas habilidades com efeitos que o faria se perguntar por que os desenvolvedores ao menos se importariam em adicioná-las.
Esses tipos de habilidades ineficientes eram rotulados como "legais, mas impraticáveis".
Para Takuma e outros como ele, que insistiram que “jogos online devem ser levados a sério!” e se focaram apenas em vencer, essas eram as habilidades que nunca escolheriam.
Por exemplo, você pode encontrar dois padrões desses tipos de habilidades na Árvore de habilidades para a classe "Feiticeiro", a qual Takuma estava usando neste momento.
O primeiro era chamado de "Feiticeiro de Combate".
Suas habilidades eram focadas em batalha corpo-a-corpo, apesar de seu personagem não possuir grande físico.
O outro padrão era chamado—
— A Invocação foi um sucesso! Isso quer dizer que agora eu sou uma Invocadora também!. — A garota Elfa proclamou com alegria.
Exatamente, um “Invocador.”
Já era amplamente conhecido que Feiticeiros com feitiços baseados nos elementos Terra, Água, Fogo, Vento, Luz ou Trevas eram os mais poderosos.
Apesar disso, os Invocadores rejeitavam o uso de Feitiços Elementais e gastavam todos os seus pontos de habilidade evoluindo Feitiços de Invocação. Isso era o que significava ser um Invocador
Sua forma de lutar era “Invocar e Escravizar poderosas Bestas Mágicas para lutar em seu lugar”.
Entretanto, o dano causado por cada ataque de suas Invocações era relativamente fraco e Feiticeiros Elementais de mesmo nível eram muito mais fortes.
Para autodefesa, eles só poderiam contar com sua Vanguarda para segurar o inimigo enquanto corriam ao redor, ou derrotar seu oponente antes que fossem atingidos.
Por causa disso, Invocadores foram chamados de fracos e eram geralmente alvo de ofensas típicas como “um Invocador (lol)” e “Se está querendo brincar com mascotes, procure outro jogo!”.
Existia no jogo somente um lugar o qual foi profundamente ligado aos Invocadores—
O local de cerimônias de Invocação: A [Torre da Estrela Cadente].
Era neste lugar que você poderia chamar suas Invocações e escravizá-las ao bel prazer.
No entanto, também houve eventos especiais em que se poderia obter Invocações melhores. Este era o ponto que você normalmente viria realizar os rituais.
O altar que Takuma estava deitado era o local onde Invocações deveriam surgir...
— … Eu apreciaria se você não se enganasse. Sou aquela que realizou a cerimônia. Sua magia foi um fracasso. — disse a garota Panteriana.
— O que!? Eu não entendo do que está falando! Eu realizei a cerimônia, não foi !? A-E ... Eu também fiz o Ritual de contrato também! Inclusive eu o bei... b-b-beijei também! — A Elfa, irritada, expressou sua objeção.
— ... E-eu também... embora nunca vi uma Invocação com aspecto humanoide antes. Comparado a Invocações normais, esta deve ser muito mais poderosa. É impossível que uma Elfa Feiticeira seja capaz de convocar algo como ele. Veja, pensando de forma lógica, faz todo sentido que ele me pertença.
— Não! Você está errada! Ele é meu!
As duas começaram a discutir entre si.
Foi então que Takuma compreendeu sua situação.
“Agora entendo... Eu não fui trazido a este mundo semelhante a Cross Reverie como um jogador...”
As garotas gritaram uma para outra praticamente ao mesmo tempo:
— ...Eu fui aquela que invocou Diablo!
— Fui eu quem invocou Diablo!
Sakamoto Takuma—Não, “Diablo”—foi Invocado para um outro mundo. E não como um jogador, mas como uma Invocação de uma destas duas garotas.
Takuma refletiu sobre o que se lembrava sobre Invocações em Cross Reverie. Em oposição a outros monstros e inimigos mágicos, pertenciam a uma classe destinada exclusivamente a eles. Tratavam-se de seres que existiam para serem convocados e escravizados por Invocadores.
Embora não pudessem falar, possuíam alta inteligência e eram capazes de desencadear ataques bastante poderosos. Havia até mesmo Invocações que poderiam usar magia de cura. Mas, porque era difícil controlá-los, era necessário ligá-los ao mestre através do [Colar de Ferro].
Qualquer Invocação atada a este colar seria completamente dominada pelo seu Invocador.
“Eu vou ser dominado!?”
Takuma empalideceu quando recordou essa informação. Se este mundo estivesse usando o mesmo cenário de Cross Reverie, então ele não teria escolha se não estar sob o controle de uma das garotas.
A Elfa de cabelos dourados, braços e pernas esbeltas, dotada de uma beleza inimaginável. Ou a garota inexpressiva que possuía orelhas de gato e um corpo atraente e elegante. Ele estava começando a pensar que ser dominado poderia não ser tão ruim assim.
“Não, não, não! Isso ainda seria uma coisa horrível!”
Sendo tentado por um momento, Takuma balançou a cabeça para trás. Com isso, as garotas voltaram seus olhares para ele.
Elas pareciam ter chegado a algum entendimento. A menina com orelhas de gato falou primeiro.
— ... Você consegue entender o que estamos dizendo?
— Hã? Ah, sim. — Sua resposta foi mínima.
Como se não esperassem por isso, a Elfa e a Panteriana arregalaram bem os olhos.
— ELE PODE FALAR!?
— … Isso é uma surpresa. Eu nunca ouvi falar de uma Invocação que poderia entender a nossa linguagem, muito menos responder ...
— Eu sou mesmo incrível! Apesar de ter sido minha primeira invocação, consegui chamar algo espetacular!
A menina com orelhas de gato olhou para a Elfa.
… Vou dizer isso de novo, mas eu sou a único que invocou Diablo, sabe?
E eu vou dizer de novo também! Diablo respondeu a minha invocação e veio por mim, consegue entender isso?!
As duas continuaram a se encararem. Elas ainda estavam brigando sobre quem seria a Invocadora real. E não havia qualquer ocasião no jogo onde dois Invocadores trabalhassem juntos para convocar uma criatura poderosa.
… Bem, já que insiste tanto, vamos confirmar quem possui os direitos de comando sobre o Diablo
A Elfa olhou para a garota com orelhas de gato enquanto dava sua resposta.
Por mim tudo bem, vamos fazer isso! Ele é minha Invocação, afinal, é claro que ele vai me obedecer!
As coisas tinham definitivamente mudado para algo estranho aqui. A garota Panteriana se aproximou de Takuma.
... Pelo nome de Rem Galleu, eu o comando para que levante sua mão direita.
Então o nome dela era Rem Galleu? Rem seria seu primeiro nome, então?
Takuma obedientemente levantou a mão direita. A Elfa começou a protestar.
Qualquer um seguiria uma ordem assim! Se você vai comandar ele, peça algo que seja um pouco mais ridículo!
— … Dói-me ter de ouvir os latidos de um cão perdedor, mas como você desejar. Diablo, eu o comando a apertar as bochechas daquela Elfa ali.
— E isso é algo que você normalmente ordenaria a alguém?! — disse, estupefata.
Takuma inclinou a cabeça.
— O que? Eu realmente não quero fazer isso...
Rem ficou chocada com a resposta dele. Porque ele foi capaz de resistir ao seu comando, isso significava que ela não era a Invocadora.
“Ou algo assim, eu acho?”
Com o rosto positivamente radiante, a Elfa estufou o peito.
— Veja, veja! Parece que eu era a Invocadora no final! Então, minha Invocação, Diablo! Eu te ordeno em nome de Shera! Dê àquela Panteriana ali uma bela surra!
— ... Ordenando-o a usar a violência contra os outros me faz duvidar do valor do seu caráter. — Retrucou Rem.
Você me disse para fazer algo parecido agora, lembra? — Takuma pensou consigo mesmo.
— Eu não quero fazer isso também.
— POR QUÊ!?
Os olhos da Elfa estavam tão abertos quanto possível. Mesmo Takuma estava inclinando a cabeça um pouco, em confusão.
“Isso é estranho. Não há qualquer tipo de força opressiva que me faça sentir como se estivesse sendo escravizado... Talvez seja porque sou um jogador?”
Rem estava olhando para Shera.
— ... Parece que algo deu errado desde que você tentou assumir minha Invocação.
— Hm, errado! Eu fui a primeira que pensou em usar este lugar, você sabe! Era a única que achava que a quantidade elevada de poder mágico reunida aqui seria capaz de chamar um Rei Demônio de outro mundo!
— ... Eu deveria ter te colocado para fora daqui desde o início... E ainda não é tarde demais para isso. Farei você sair daqui à força e refazer o ritual! O Rei Demônio é meu...
Rem colocou a mão no bolso do cinto de couro e tirou um cristal. Shera pegou o arco em suas costas e se posicionou. As coisas ficariam tensas caso houvesse uma luta aqui.
“Brigar é ruim! Devo dizer alguma coisa para fazê-las se acalmarem.” —  pensou Takuma.
Raciocinando com calma, ele tentou pensar nas palavras necessárias para resolver a situação pacificamente, mas, de repente, ele congelou.
“Hã? Como diabos eu deveria falar com uma garota real?”
Takuma procurou em suas memórias. Quando foi a última vez que realmente conversou com uma garota na vida real? Um ano atrás? Não, espere! Houve uma vez com a funcionária da loja de conveniência, então com certeza ... Espera, ele realmente falou com ela?
A realidade era cruel. Mesmo em Cross Reverie, ele sempre jogou sozinho como o “Rei Demônio”, então o máximo que já fez foi conversar com caras que jogavam como garotas em suas Equipes.
“Espere, houve uma! Eu falei com uma garota! — Ele havia falado com uma garota, e foi recentemente!”  
Virando-se para o rosto de Rem e Shera enquanto elas continuavam prontas para lutar, Takuma reuniu a pouca experiência que tinha e as chamou.
— Cessem com essa disputa inútil! Vocês estão na presença de Diablo! — As duas meninas imediatamente pararam de se mover e se viraram para ele.
“Beleza! É isso aí!”
Era o tom de voz que ele usava como o Rei Demônio quando alguém aparecia para desafiá-lo. Se falasse assim, deveria ser capaz de conversar com uma garota, sem problemas.
Ele sentiu que quase faria alguma pose enquanto enfrentava as duas garotas. No entanto, conseguiu suprimir o desejo. Afinal, Reis Demônios não costumam fazer poses.
— Eu não sou parcial a tais discussões fúteis. É incessante, como o barulho de dois insetos brigando entre si. E, assim, ordeno a vocês duas: façam as pazes apertando as mãos... e sorriam!
Rem estreitou os olhos.
—  Quem iria querer fazer as pazes... com uma elfa tão tola e inútil como—!?
Shera ergueu as sobrancelhas.
— O que!? É aquela pequena insignificante panteriana que é a culpada aqui! Ela me deve um pedido de desculpas, e eu não vou perdoá-la até que—!
As expressões das garotas começaram a mudar de maneira estranha. Suas pálpebras começaram a fechar de forma desajeitada, e os cantos de suas bocas começaram a se contorcer para cima. As mudanças não terminaram apenas com seus rostos.
Enquanto ainda segurava o cristal em sua mão esquerda, Rem ofereceu a sua direita. Shera baixou o arco e também estendeu a mão direita. Um passo de cada vez, elas lentamente começaram a andar em direção uma da outra.
— ... Como... Como poderia algo assim...
Normalmente desprovido de qualquer tipo de expressão, era só agora que você podia chamar o que Rem tinha no rosto de um "sorriso". Shera estava com medo.
— Não, pare...! Por que meu corpo está se movendo sozinho?
Parecia que ela estava prestes a chorar. No entanto, os rostos das meninas ficaram enrijecidos com os lábios curvados para cima.
Uma troca de apertos de mão. Embora suas expressões faciais estranhas mostrassem claramente que elas não queriam fazer isso...
Assim como Takuma havia ordenado, as garotas apertaram as mãos e sorriram. De repente, uma luz negra começou a se enrolar no pescoço delas. Um ruído baixo e vibrante podia ser ouvido, seguido por um pesado *thunk*, como se alguma coisa estivesse sendo trancada.
Dois grossos colares se materializaram em torno dos delgados pescoços de Rem e Shera. Eles pareciam ser feitos de um metal de cor fosca, semelhante ao ferro.


Os olhos de Rem se arregalaram quando ela tocou seu pescoço.
— Isso é... um colar de escravidão !?
Shera verificou o próprio pescoço e soltou um grito.
— O que!? Por quê!? Não é suposto isso ir parar na Invocação?
— ... Estou certa de que realizamos o Ritual da Escravidão necessário para ter a Invocação usando o [Colar de Ferro].
Takuma inclinou a cabeça.
― Hm? Ritual da Escravidão? Em mim?
Rem assentiu enquanto fazia uma expressão confusa.
— S-Sim... Hmm, bem, nós certamente... lançamos o ritual mágico... em você...
Takuma olhou para o próprio corpo.
Ele estava vestindo a armadura [Escuridão do Abismo] e uma extravagante capa chamada de [Cortina de Nuvens Negras]. Na cabeça dele havia dois chifres de cabra—a [Coroa Distorcida].
No dedo médio da mão esquerda havia um anel que parecia ter sido moldado a partir de uma chama, com uma jóia negra embutida. Ele se lembrou de ter visto esse padrão antes.
O Anel do Rei Demônio. Este item incrivelmente raro de Cross Reverie possuía a habilidade [Reflexão Mágica], um efeito que não tinha igual quando se tratava de lutar contra inimigos que usassem magia, embora fosse difícil de usar, uma vez que também refletia magias de cura e suporte.
Takuma começou a solucionar o mistério.
“Então, por causa desse anel, parece que a magia da escravização ricocheteou em mim sobre estas duas em vez disso.” — Não foi Takuma que foi escravizado, mas sim as duas garotas que o haviam Invocado.

Se você gostou deste capítulo, CLIQUE AQUI, solucione o Captcha e aguarde

por 5 segundos, assim estará apoiando a Anime X Novel!





Share on Google+

You Might Also Like

Comment Now

0 comentários