Death March Webnovel 17-17

Posted



Death March 17-17
[Calamidades Cor-de-Rosa – Parte 2]

Ilustração do capítulo 17-17 da Webnovel Death March to the Parallel World Rhapsody


Satou aqui. Eu costumava beber vários copos de café no tempo e que era programador. A causa disso se dava parcialmente porque o cafezinho era de graça em meu local de trabalho, mas a grande verdade era que eu precisa disso para manter os meus olhos abertos durante as noitadas para cumprir os prazos.


◇◇◇


— Vocês são os enviados da Firma Echigoya?
O “Pesquisador Associado do Instituto Real de Pesquisas”, perguntou enquanto olhava de maneira suspeita para nós. Já que hoje eu estava disfarçado, além disso acompanhando por três crianças, não era de se estranhar que parecesse duvidoso.
— Sim, exatamente. Estamos agradecidos que tenha dedicado um pouco do seu tempo para nos receber hoje.
Nosso objetivo aqui era saber mais sobre os efeitos causados pelos doces de café e coca-cola que haviam começado a surgir nas [torres].
— Tem algo que queira me perguntar?
— Sim, recebemos um relatório do pesquisador associado...
— NÃO ME CHAME DE “ASSOCIADO”!
Sua atitude condescende sumiu no instante em que a palavra “associado” foi dita. Pensando bem, este cara tinha feito uma enorme confusão antes por causa de sua posição de trabalho durante o surgimento das torres.
— Perdoe-me. Muito bem, nós gostaríamos de ter mais detalhes sobre os efeitos de dependência que você escreveu em seu relatório à Firma Echigoya.
— Perfeitamente. Apesar de não ter havido mudanças significativas nas cobaias do experimento...
O [associado-shi] tirou então um doce de seu jaleco e o colocou na boca antes de continuar a falar.
Rudy: Satou-kun é um trollador mesmo. Ele tem a mania de se referir às pessoas que não conhece por algum apelido ou característica. Agora esse cara é Associado-shi =3
— Alguns indivíduos, independente de serem humanos ou semi-humanos, mostraram sinais de dependência aos doces. Diferente das drogas banidas, não há qualquer sinal extremo de abstinência ou algo parecido, no entanto, foram observados sintomas de perda de concentração e irritabilidade devido ao não consumo por um tempo extensivo, variando de pessoa para pessoa.
Parece que os sintomas serão diferentes dependendo do indivíduo.
— Por acaso é o mesmo de quando se proibi um alcoólatra de fazer o consumo?
— Certamente é similar, mas, de acordo com um dos nossos pesquisadores que é natural do Império Saga, está mais para quando ele fica sem sua xícara de café.
De acordo com o Associado-shi, este pesquisador em questão é um bebedor compulsivo de café, ingerindo mais de dez copos todos os dias.
— (Então seria um tipo de síndrome de abstinência de cafeína)?
— (A descrição combina).
Arisa sussurrou em meu ouvido.
— Por acaso isso se aplica aos dois tipos de doces?
Embora haja cafeína em chá verde e chá preto, lembro-me que a coca-cola não possui muita, por isso fiz esta questão.
— Onde está querendo chegar com isso? — Os olhos do Associado-shi brilharam.
— Eu estava me questionado se os efeitos de dependência se limitavam ao doce de café ou também estavam presentes no doce de coca-cola.
— Esta foi uma excelente pergunta. Deixe-me explicá-lo que, de fato, a dependência só foi observada nos doces de café. No entanto, também observamos que aqueles que consumiam ambos os tipos apresentaram maior disposição em exibir os sintomas.
— Está me dizendo que eles têm um efeito sinergético?
— “Sinergético”? Você conhece umas palavras bem difíceis, mas sim... ou ao menos era o que eu gostaria de dizer, mas infelizmente não fui capaz de chegar a  resultados conclusivos por causa da falta de exemplares.
Ele então murmurou — Se ao menos eu tivesse mais recursos... — enquanto dando alguns olhares para mim. Esse tipo de atitude clara como o dia me fazia querer sorrir.
— Ótimo, faça o requerimento do quanto precisa e envie para a Firma Echigoya.
Dizendo isso, lhe entreguei 100 moedas de ouro como capital inicial de pesquisa.
— TU-TUDO ISSO!?
As mãos do Associado-shi tremeram ao receber o dinheiro.
— Nós não precisamos de um texto muito pomposo, tá? Apenas escreva quanto precisa e pronto.
— U-umu! Deixe isso comigo!
Ele respondeu animadamente quando Arisa o instruiu.
Pelo visto, os efeitos de um bom fundo de pesquisa eram os mesmo em qualquer mundo. Associado-shi teve uma completa mudança de atitude, se tornando mais amigável e ainda nos acompanhou até a saída do instituto de pesquisas, quase como se fosse uma pessoa totalmente diferente.
— De qualquer forma, vocês notaram que aquele cara também parece bastante viciado nos doces?
— Nn.
— Morde, morde~?
Durante toda a nossa conversa, o Associado-shi continuou a mascar um doce após o outro. Não estou certo se foi alguém que apontou ou se ele mesmo percebeu isso, mas provavelmente a causa para ter escrito uma nota sobre os efeitos de dependência, devem ter sido inspiradas em sua própria experiência.


◇◇◇


— Menea.
— Cabelo bonito~?
Enquanto saíamos do Instituto Real de Pesquisas, avistamos a Princesa Menea em frente ao prédio da Academia Real de Magia, que ficava no edifício ao lado.
— Tão Popular~
Ela estava cercada por um grupo de rapazes da Academia de Cavaleiros.
Não, algo não parece estar certo.
— Vocês não acham que tem alguma coisa errada ali?
— Eh? Hmm, agora que você falou, todo mundo parece um pouco sério, não é?
Tirando a máscara do meu disfarce, decidi descer da carruagem e chamar por ela.
— Menea-sama.
— Ah, Satou-sama!
— Estamos planejando ir para o Quartel General dos Cavaleiros. Gostaria de nos acompanhar?
Assim que desci da carruagem, a convidei para entrar e então, mudei o meu ângulo de visão para os estudantes da escola de cavaleiros, fingindo que tinha acabado de notar que estavam ali.
— Ah, por acaso estavam tendo uma conversa?
— Não, essas pessoas vieram aqui para me interrogar de maneira rude.
Ei, quem iria vir interrogar a princesa de outra nação, independente de quão poderosa seja? Não sei dizer ao certo, mas dada a diferença de tamanho e velocidade de propagação de informação entre os dois países, isso não resultaria em escândalo internacional?
— N-não! Não era isso!
— Nós estávamos apenas pergunta se sua Alteza possui alguma criança de cabelos cor-de-rosa em sal família!
O que me lembra, uma das irmãs mais novas da Princesa Menea também estava matriculada na Academia Real.
— E por que vocês gostariam de saber disso?
Em respeito às questões privadas da princesa, decidi perguntar o motivo ao invés de responder diretamente.
— Nós estávamos na torre até a pouco...
Certo, mas o que isso tem a ver?
— Foi então que cruzamos com um Ogro no quarto andar...
— No quarto andar?
Quando me virei para Arisa, que simplesmente balançou a cabeça para os lados. Aparentemente, nem ela estava ciente de algo assim.
Tama também balançou a cabeça, mas, por causa do disfarce de tiger-kin, ela perdeu o equilíbrio e começou a se divertir rolando pelo chão.
Como isso me deixou um pouco preocupado, decidi verificar no [Mapa], mas não havia qualquer Ogro na torre próxima a Capital Real.
— Fico impressionado que tenha sobrevivido.
— É, tivemos... sorte.
Algo de ruim deve ter acontecido, já que deram uma pausa no meio da sentença, no entanto, como essa não era a raiz do problema, decidir ignorar.
— Então, qual a relação disso com Menea-sama?
— Ouvimos algumas vozes de criancinhas instigando os Ogros a atacar.
— Além disso, esse cara aqui...
Os estudantes abriram espaço para que um rapaz de tapa-olho viesse a frente.
— Eu vi tudo.
Ele então levantou o tapa-olho, revelando um estranho globo ocular com pupila dourada, antes de continuar a falar.
— Havia umas garotinhas com um cabelo tão bonito quanto o de sua alteza, saindo de dentro das sombras.
Aparentemente aquele era um olho mágico diferente daquele que possibilita os Elfos enxergarem [Espíritos], mas que o permitiu enxergar essas garotinhas de cabelo rosa.
— Garotinhas de cabelo rosa, hein...
Isso me lembra  alguma coisa...
— O CASTELO DAS SOMBRAS! — Gritou Arisa.
— O [Castelo das Sombras]? — Reagindo àquela palavra familiar, a princesa Menea virou para Arisa.
Ah, sim, agora lembro.
Na cidade natal da princesa, encontramos um quadro de alguém que se parecia comigo junto de uma menina de cabelos rosa, dentro do [Castelo das Sombras].
Eu tirei uma cópia daquela pintura do meu [Armazém] enquanto fingia vasculhar o meu bolso.
— Por acaso ela se parecia com essa?
— E-eu não vi bem o rosto dela, mas acho que o corte de cabelo e essa presilha se parecem muito.
Foi uma resposta vaga, mas considerando que estavam em uma situação de desespero por causa do Ogro era apenas o natural.
— Nesse caso, isso não tem nada a ver com a Princesa Menea. Irei transmitir essa questão ao Primeiro Ministro, então tratem de manter segredo sobre o que me contaram.
— AH! Nós... nós já fizemos um relatório para a guilda...
Quando ela diz a [Guilda], provavelmente se referia ao Escritório Administrativo estabelecido pelo Ministério de Recursos do Labirinto do Reino Shiga, localizado em frente à [Torre].
— Se foi só este, então não há problemas.
Eu estava fazendo isso para evitar que a Princesa Menea e sua irmãzinha recebessem qualquer tipo de ostracismo desnecessário. Colocando o nome do primeiro ministro sem pedir permissão pode acabar se tornando um problema mais tarde, mas irei apenas relatar o ocorrido e deixa-lo me pedir alguma coisa em troca.
Como agradecimento pela a informação, entreguei diversas moedas de para os garotos e fui na direção da torre no subúrbio da capital, trazendo Menea com a gente na carruagem. Meu plano era deixa-la em algum lugar que quisesse no caminho, mas como ela não tinha outros compromissos acabamos indo juntos.
Por causa do excesso de contato íntimo da princesa comigo, fui obrigado a escutar uma longa sequência de [CULPADO!] o caminho inteiro até a torre.


◇◇◇


— POR FAVOR, ME VENDA ALGUNS DOCES!
Quando saímos da carruagem em frente ao Escritório de Administração em frente à torre, nos deparamos com um homem velho tentando comprar doces das pessoas que vinham da torre.
Rudy: Nesses últimos tempos percebi que quando os japoneses dizem “Homem de meia-idade”, é diferente do que consideramos meia idade no Brasil. Para nós, uma pessoa de meia-idade tem 50 anos, mas em muitas obras japonesas, refere-se a homens com 30 anos. Seria esse um choque cultural?
— O-o senhor não pode, nodesu! Doces precisa ser vendidos na loja da guilda, nodesuyo!
— EU SEI DISSO! MAS POR FAVOR, TE PAGO O DOBRO!
Me virei na direção da voz com um tom peculiar e encontro Pochi, que estava usando um disfarce de Dogkin. Mabudachi-kun e Shatei-kun também estavam com ela.
— Ela já disse que não, cara!
— Deixa de ser chato! Nós não vamos ficar quietos se você continuar enchendo a Nee-san!
Os dois estavam tentando o seu melhor para arrancar o homem de cima da pobre Pochi, que estava beirando as lágrimas sem saber o que fazer naquela situação.
Eu decidi que o melhor seria intervir antes que algo mais grave acontecesse.
— Este cheiro, Goshujin-sama, nanodesu!
Percebendo o meu cheiro, Pochi veio correndo antes mesmo que eu pudesse chamá-la. A peguei nos braços no instante em que ela saltou na minha direção usando [Movimento Oscilante], e acariciei sua cabeça enquanto ela esfregava o seu rosto em mim.
— O [Matador de Demônios] em pessoa!?
— UUUUUUUUUA, É O LORDE PENDRAGON!
— É ELE MESMO!
As pessoas em volta começaram a tumultuar assim que nos viram.
Ah, é verdade. Esqueci que tinha tirado a máscara quando chamei a princesa Menea.
Ao mesmo tempo em que respondia de volta as pessoas que pediam um aperto de mão, fui com Pochi até o Escritório Administrativo. Por sinal, o homem que a fez ficar com os olhos cheios de água, acabou sendo esmagado pela multidão, desaparecendo em algum ponto.
— Sua excelência Pedragon! É uma honra enorme ter o senhor vindo pessoalmente inspecionar nossa humilde instalação!
Todos os membros da administração vieram nos receber quando entramos no escritório. A sala em que estávamos era cheia de janelas e ficava logo depois do salão da guilda, parecendo mais o salão de alguma prefeitura.
Dei os meus agradecimentos a todos os presentes e fui para outra sala junto do chefe e sua secretaria.
— Ouvi falar que um Ogro apareceu no quarto andar. O senhor recebeu algum relatório novo sobre isso?
— Infelizmente não. Tudo o que tivemos foi um relato de alguns estudantes da Academia de Cavaleiros. Dois pelotões foram despachados pela guarda para investigar a questão e atualmente estamos aguardando o seu retorno para...
— Se for um Ogro-san, Pochi já venceu isso, nodesu!
Durante a fala do chefe, levantou a mão e interveio para anunciar o seu feito.
— Com o ogro-san veio para cima com um “gao!”, Pochi foi e “babyuum” nele, nodesu!
— Pochi, naisu (Nice, boa!)~?
— Nn. Boa menina.
Tama e Mia a elogiaram enquanto Pochi estava contando animada a sua história. Agora eu sabia o porquê do Ogro não ter aparecido quando investiguei o [Mapa].
— Ei, não acha que está um pouquinho perto demais!?
— Ara, ara? Não seria essa distância a mesma que a sua, Arisa-chan?
Pelo visto, Arisa estava ocupada competindo com a Princesa Menea.
— Como esperado daqueles associados a sua excelência. Agora já podemos retirar a proibição assim que o time de investigação retornar.
Aparentemente, eles haviam proibido a entrada dos exploradores que agiam principalmente nos andares inferiores para minimizar qualquer impacto. Os portões só seriam abertos depois da volta dos cavaleiros, não porque duvidassem de Pochi, mas sim para ter certeza de que não havia mais Ogros nos arredores.
O fato de não tratarem os exploradores como mão de obra descartável deixou em mim uma boa impressão.
— Também ouvi dos estudantes da academia de cavaleiros que a voz de crianças pode ser ouvida na hora em que se encontraram com o ogro. Por acaso houve relatos similares?
— Não, o único relato que veio foi o...
— Pochi também ouviu, nodesu!
Pochi levantou a mão enquanto ofegava, interrompendo o chefe mais uma vez.
— Elas diziam, [Injusto] e [Vilões], nodesu.
— Eu também ouvi. A forma delas de falar era desagradável, quase igual aos filhos de nobres.
— Eu num ouvi nada.
— Nem eu.
Pelo que disseram, apenas Pochi e Mabudachi-kun ouviram as vozes.
— Vocês viram como elas se pareciam?
Ambos balançaram a cabeça negativamente. Até o momento, apenas o garoto com um olho mágico conseguiu.
— Minha vez~?
Tama, que estava sentada em meu colo até agora, olhou para mim enquanto fazia uma pose ninja. Hoje à noite teremos a ajuda da Gata Ninja na investigação dessas misteriosas garotinhas.


◇◇◇


— Por favor, qualquer informação nova que conseguir, repasse para o Quartel General das [Bridal Knights (Cavaleiras Nupciais)].
— Entendido.
Deixei com o chefe uma sacola de ouro como agradecimento pela ajuda e deixei a sala.
— COMO ASSIM NÃO PODEMOS IR PRA TORRE!?
— POR QUANTO TEMPO VÃO CONTINUAR COM ESSA MERDA!?
Alguns exploradores estavam intimidando a recepcionista no balcão.
Pelo visto estavam reclamando de como apenas exploradores de alto nível poderiam entrar nas torres por causa da comoção causada pelos ogros nos andares mais baixos.
— De novo, hein... apesar de ser um medida para proteger a vida deles, ainda tem gente que simplesmente não entende.
— Isso é sempre um aborrecimento.
Eu me viro para o chefe que veio até nós e expos sua insatisfação.
— EI!
Arisa dá um grito e quando me viro para ela, Pochi e Tama estavam imobilizando os exploradores, enquanto a recepcionista pressiona sua própria bochecha, com uma expressão triste.
Aparentemente, enquanto conversava com o chefe, aqueles exploradores alterados esbofetearam a recepcionista.
— Por favor, pressione isso em seu rosto.
Passo para a recepcionista um guardanapo embebido em poção mágica. Ao pressionar aquilo contra a bochecha, deveria eliminar a dor e a vermelhidão.
— Muito obrigada.
— Está tudo bem com você?
— Sim, isso é só uma ocorrência corriqueira.
— Um explorador lhe agredindo?
— ...Infelizmente.
A recepcionista me informou que recentemente o número de exploradores agindo de maneira violentava tinha aumentado.
— (Sua excelência, com relação à questão das [Vozes] de mais cedo)...
O chefe sussurrou em meu ouvido.
Depois de confirmar com as recepcionistas presentes aqui, ele descobriu diversos relatos sobre vozes de meninas. A maioria sendo tratada apenas como baboseira ou alucinação.
O contexto dessas vozes não diferia muito do que Pochi e Madabuchi-kun relataram, com a mudança mais significativa sendo a ausência de um Ogro ou coisas como [Não há homens maus aqui] ou [Onde estão os homens maus~].
Por acaso as meninas de cabelo rosa não estão conectadas com o ogro e apenas procurando por caras maus?
Eu caminhei até a nossa carruagem enquanto pensava nas possibilidades, até que esbarramos em um grupo de exploradores, que vinham da torre, discutindo.
— Como é que é!? Como ousa questionar a profundidade da minha fé!?
— Eu só quero saber porque sua magia sagrada só falha na hora mais crucial.
— É....é... só porque eu acabei me distraindo com alguma coisa inesperada...
Um sacerdote do templo de Heraruon estava discutindo com alguns exploradores.
— Ah é? Os seus [Disparos Sagrados] não estão ficando meio fracos também? Já ouviu os rumores de sacerdotes sem fé perdendo os seus poderes?
— Quem anda espalhando esses rumores!?
— Todo mundo na taberna tem falado disso!
Eu não sabia que tinha um rumor desses. Mas aquele bando de Deuses atrapalhados iria se dar ao trabalho de fazer isso? Embora eles certamente tomariam o poder de algum sacerdote que não tivesse fé alguma.
Aquilo chamou a minha atenção e por isso decidi perguntar a Sera depois se havia algum precedente.


◇◇◇


— Não vejo qualquer distorção espacial.
— Armadilhas, nenhuma~?
— Pochi não fareja nada de estranho também, nodesuyo.
— Limpo.
Na noite daquele dia, fui com as garotas em cada local onde as [Vozes] foram relatadas. Quanto ao restante do grupo, Nana iria passar a noite no orfanato, produzindo bonecas de pelúcia em massa como [Seven-sensei], enquanto Lulu estava fazendo experimentos de tentativa e erro para produzir doces de café e coca-cola. Por fim, os membros do time de prata saíram para conquistar os andares superiores da torre que ficava nos arredores.
— Ah, é vedade. Tama, você entregou a pintura?
— Aye!
Tama respondeu animadamente a pergunta de Arisa.
Sua mais recente obra, [Chuva de Doces] foi entregue na Firma Echigoya. Assim que Nell trouxe o quadro para um do canto do balcão, uma multidão correu até ela para comprar doces, mesmo sabendo que não havia estoque e sem mesmo perguntar qual o contexto daquilo. Pensando bem, deveríamos ter levado em conta que qualquer um iria querer pôr as mãos em um doce depois de ver aquilo.
Sinto que, em um certo sentido, o quadro da Tama possa ser ainda mais perigoso que o efeito de dependência dos doces.
— Último?
— Sim, este é o último lugar que relataram.
Respondi a pergunta de Mia.
— Você já avisou ao time de prata?
— Hm? Ah, agora que falou, é verdade. Apesar de só termos recebido notícias dos andares de baixo, nada garante que não tenha avistamentos nos superiores também. Vou entrar em contato agora.
Confirmando o estado atual dos membros do time de prata, não vi qualquer problema em particular nos arredores delas. Quando vi que estavam tomando uma pausa para descanso, decidi conectar a todo através do feitiço [Conversa Tática].
— [(...) e como vocês podem acabar se deparando com um fenômeno similar, achei melhor avisá-las.]
Aproveitei para compartilhar algumas questões menores também.
— [Não importa a força do meu inimigo, irei enfrenta-lo de frente, desuwa!]
— [Greato (Great, Boa)~!]
— [Como esperado da Karina, nanodesu!]
Tama e Pochi deram seu louvor para a afirmação irresponsável de Lady Karina.
— [Terei certeza de checar as informações de qualquer inimigo antes que entremos em batalha.]
Depois de aprender a habilidade [Avaliação Pessoal] através de um [Orb do Labirinto], Zena-san se tornou a pessoa ideal para cuidar disso.
—  [Não se preocupe, temos [Esferas de Fuga da Torre] conosco, então não há o que temer.]
— [Não, sua Alteza. As torres foram criadas pelo Deus Demônio, por isso não podemos colocar muita confiança nos itens encontrados aqui.]
Sera decidiu dar um aviso a Princesa Sistina.
— [Não concorda comigo, Satou-san?]
— [Sim, estou totalmente de acordo.]
Na verdade, a opinião de Sera era mais pela sua descrença no Deus Demônio do que precaução em si, mas isso não a deixava menos certa. Em jogos, não era muito incomum se deparar com salas onde itens de fuga seriam inibidos.
— [Oh, mas ficaremos bem de qualquer forma. Quero dizer, podemos simplesmente usar o portal de Satou-san ou o [Anel das Fadas] portátil que Aialize-sama nos deu também.]
Zena-san decidiu lembrar a todas as contramedidas de segurança que ainda tínhamos. Embora ainda fosse desconhecido se funcionariam ou não em uma zona que proibisse o uso de itens de fuga, eu tinha preparado e distribuído estes para que as garotas tivessem outros meios de escapar. 
— [Mesmo que vocês acabem se deparando com uma situação inesperada, tenham certeza de que virei para salvá-las, então tratem de se concentrar ao máximo em sobreviver.]
— [SIM!] — Todos os membros do time de prata responderam de forma confiante.
— [Sera-san, tem algo que eu gostaria de confirmar com você (...)]
Como a discussão que vimos entre um sacerdote e os exploradores chamou minha atenção, perguntei a ela se a fé de um sacerdote teria qualquer influência sobre sua Magia Sagrada.
— [Acredito que seja possível. É bastante comum ver diferenças de poder entre sacerdotes de mesmo nível e até mesmo flutuações dependendo do seu estado emocional.]
— [Mas isso não acontece só com os sacerdotes, com os Magos sofrem do mesmo também, não é?]
— [Nn, de acordo.]
— [A mesma coisa acontece com a Magia de Vento, sabem? É possível ver mudanças conforme a sua condição física também.]
Arisa, Mia e Zena-san levantaram opiniões que diferiam da resposta de Sera. Como esse tipo de coisa nunca afetou a minha magia, eu não fazia ideai, mas pelo visto tratava-se de uma ocorrência frequente entre os magos.
— [Mas as escrituras dizem que um sacerdote que tenha perdido sua fé para os Deuses, ficará incapaz de usar Magia Sagrada].
Segundo ela, a pessoa perderia a capacidade mesmo que alguém com [Avaliação Pessoal] constatasse que a habilidade [Magia Sagrada] ainda existia.
— [Entendi~ esse tipo de coisa não acontece com Magos.]
— [Magia não está relacionado com o nível de fé da pessoa, então a perda na capacidade de usar magia não seria por causa da descrença na magia em si?]
Arisa entendeu o que Sera quis dizer, enquanto Sistina levantou um argumento intrigante. A [Magia Moderna] é uma coisa, mas definitivamente seria impossível usar [Magia Ancestral] se você não acreditasse nela.
Rudy: Estou trocando [Magia Primitiva] por [Magia Ancestral]. Só hoje me ocorreu que a palavra “primitiva” parece um pouco depreciativa.
Se continuássemos a conversa elas não teriam qualquer descanso, por isso, decidi agradecer a Sera e terminar a chamada.
— Goshujin-sama, você está suspeitando que o Deus Demônio esteja fazendo alguma coisa para enfraquecer a Magia Sagrada, não é?
Como esperado dela, Arisa sempre consegue ver através de tudo.
— Estou apenas considerando que essa seja uma possível causa.
Se o Deus Demônio fizesse isso abertamente, a opinião já ruim dos outros Deuses sobre ele ficaria ainda pior, por isso normalmente se acharia que não.
Mas talvez...
— Quem sabe estas [Torres] que supostamente deveriam aumentar a fé em direção aos Deuses, seja na verdade uma armadilha do Deus Demônio para tirar a crença das pessoas.
— Se isso for verdade, as coisas vão ficar feias~
Ela deu de ombros, meio que fazendo pouco caso.
— Chance.
— O~fu couruse~ (Of course, é claro)
— Pochi e seus amigos vão bater todos os caras maus, nodesuyo!
— Ahaha, Goshujin-sama, é melhor preparar alguns equipamentos novos para acabarmos com a trupe do Deus Demônio~
— Claro, pode deixar.
Como eu nunca acerto as minhas hipóteses, pode ser que nada disso aconteça.

Apesar de dizer isso em minha mente, ainda fiz uma série de planos para um novo armamento contra a [Trupe do Deus Demônio] durante o nosso caminho de volta para o Palácio da Ilha Solitária.


Se você gostou deste capítulo, CLIQUE AQUI, solucione o Captcha e aguarde

por 5 segundos, assim estará apoiando a Anime X Novel!





Share on Google+

Faça uma busca aqui por mais Novels e Mangás em nossos Sites Parceiros!

You Might Also Like

Comment Now

0 comentários