Botsuraku Yotei Webnovel 27

Posted




Capítulo 27



Shishou (Mestre), você já escolheu quais disciplinas vai acompanhar?
Hoje era o nosso dia livre no final de semana, mesmo assim, o Crossy ainda veio até meu quarto por alguma razão.
— Hmm... Herbologia e Ciência Médica, mas ainda preciso escolher as outras duas.
— É mesmo? Eu já estou nas classes de Artes Marciais e Estudos Imperiais e também não escolhi as últimas.
É importante escolher a sua grade com cuidado ou então poderá acabar se arrependendo.
Dissipando a minha ansiedade, interrompi o trabalho que estava fazendo com o ferro e olhei para ele por cima de meus ombros.
— Ah, sim, você não vai treinar com o Vaine hoje?
— Sim, esse é o nosso único dia de folga, então ele disse que eu deveria descansar o corpo. Mas me pergunto, para onde ele foi? Ficar se esgueirando por aí assim... Tenho certeza que é só para irritar as pessoas!
— Não esqueça que também é um dia de descanso para ele, então tente perdoá-lo por isso.
— ... Se o Shishou diz...
Crossy falou ao mesmo tempo que inflava as bochechas, mostrando que não tinha a intenção real de perdoar o Vaine. Mas isso também era bom, pois mostrava que finalmente estavam se dando bem.
— Bem, nós temos algum tempo livre, então, o que o Shishou gostaria de fazer?
Na verdade eu estava bastante ocupado. Havia ainda duas disciplinas faltando em minha grade acadêmica, fora que, uma vez que havia terminado o terceiro volume do meu livro de magias, seria hora de começar a leitura do quarto volume.
Além disso, porque tem que ser no meu quarto?! Será que não tenho o direito de ficar sozinho?!
— Eu realmente estou ocupado, então por que você não tenta descobrir em segredo aonde o Vaine foi?
— Oh! Isso parece interessante! Vamos juntos, Shisho!
Oh merda, seus olhos estavam brilhando. Embora fosse realmente cativante o quanto ele queria passar um tempo comigo, senti um pouco de pena do Vaine, mas esse era um tempo precioso que eu poderia passar junto ao meu discípulo.
Ugh... acabei cavando a minha própria cova, hein? Embora seja só um pouco, também estou curioso com o que o Vaine está escondendo. Onde ele foi afinal? Esse é um mistério que precisa ser investigado! — pensou o cara que falou que não tinha tempo, mas entrando na onda do primeiro evento que apareceu.
— Então vamos.
— Sim!
Quando estiver procurando uma pessoa, se faz necessário afunilar os possíveis locais onde seu alvo estaria. Normalmente seria necessário ir até uma taverna, onde se pode facilmente comprar informações, mas infelizmente não havia qualquer taverna dentro da Academia. Por essa razão, precisávamos ir para o que mais se aproximava disso, o refeitório. Caso ele estivesse lá, poderíamos encontrá-lo facilmente devido sua estatura avantajada ou ao menos alguém que o tivesse visto.
Entrando no refeitório, fomos incapazes de achar o alvo, então decidimos procurar alguém que tivesse informação confiável, foi então que avistamos duas garotas fofocando entre si.
— Com licença, vocês duas viram um estudante chamado Vaine por aí?
— Vaine-san... é aquela pessoa muito alta, não é? Acho que o vi saindo do dormitório, mas foi só isso.
— Isso já é o bastante, obrigado.
Depois de falar com as duas, deixamos o refeitório.
— Ao menos sabemos que ele não está no prédio dos dormitórios. Agora, onde mais podemos ir?
— Ele provavelmente foi a um lugar com espaço para um treino. No parque, talvez?
— Bem, está é a nossa única pista, então vamos lá.
Assim que chegamos no parque, havia diversas pessoas fazendo exercício aos pares, mas Vaine não estava entre elas. Vendo uma garota que ainda estava se alongando, decidi ir questioná-la.
— Vaine? Ah, sim, eu o vi. Ele estava correndo por aqui mais cedo enquanto murmurava algo como “Esqueça os pensamentos maliciosos”, coisa assim.
— Então, você sabe onde ele está agora?
— Bem, acho que estava indo para o salão de banho, mas não estou certa se ainda estará lá.
— Obrigado e boa sorte com os exercícios. Seria bom se pudéssemos conversar mais um outro dia.
— Sim, eu adoraria, Kururi-san.
Após cumprimenta-lá, nós saímos do parque.
— Então ele realmente esteve aqui…
— Talvez o Vaine tenha decidido sair do terreno escolar? — Crossy colocou a mão no queixo, pensando onde poderíamos ir agora.
— Como você não costuma sair da escola Crossy, pode não saber disso, mas é uma caminhada e tanto até lá. Vamos olhar no estábulo se ele pegou um cavalo.
— Sim!
Embora, o que faremos se ele de fato tiver pego um? Iremos perseguí-lo? — Mesmo que eu tenha achado que seria divertido, era sempre bom saber quando parar.

◇◇◇

— Vaine, hein? Aguarde um momento, preciso verificar no histórico. — O atendente do estábulo saiu correndo.
Nós chegamos ao estábulo e, por minha causa, o atendente saiu correndo para verificar. Removendo o selo, ele abriu o diário e, tracejando-o com seu dedo, verificou atenciosamente os nomes na lista.
— Parece que ninguém com esse nome pegou um cavalo hoje, mas... você disse que ele é assustadoramente alto, não foi? Vi alguém assim hoje cedo.
— Você sabe para onde ia?
— Sim, acredito que ele estava indo em direção à fonte.
— Sério? Obrigado!
Agradecemos o atendente do estábulo e corremos para nosso próximo destino.
— Dessa vez a informação é insuficiente. Há um monte de fontes na escola. — Crossy murmurou lamentando.
— Não necessariamente. Quando as pessoas na Academia falam  “a fonte”, só há um lugar que poderia ser chamado assim. — Dei ao Crossy um leve tapinha nas costas.
— Ah! É verdade, Shishou!
Se eu fosse descrever como Crossy estava caminhando agora, diria que ele parecia ter molas na sola dos pés…
Nosso objetivo era o grande chafariz, mas eu não sabia se estávamos indo pelo caminho certo, já que não conhecia bem todas as trilhas no interior da escola, e, antes que percebêssemos, estávamos no meio de um jardim florido.
Onde é que fomos parar? Eu sinceramente preciso me habituar com o mapa da academia...
— Shishou...
— ...
Como o Crossy estava na minha frente, eu não podia ver o seu rosto, mas podia imaginar que tipo de expressão ele tinha…
O que deveríamos fazer?!
— Kururi? — Uma voz familiar soou do outro lado da cerca viva que estava coberta de flores.
Então, procurei uma abertura na vegetação e quando dei uma espiada, o que encontrei foi a minha face frente-a-frente com a de Iris. Ambos fizemos uma cara de surpresa.
— Iris! Deus do céu, que bom te encontrar! Eu estou meio perdido aqui, tem como você me ajudar?
— Bem, é um pouco difícil passar instruções de uma rua que não estou vendo, então estaria tudo bem se eu fosse guiando o caminho?
— Claro, valeu Iris, você me sal… — Parei de falar no momento em que percebi um olhar assustador voltado para mim.
De pé, um pouco atrás da Iris, estava um homem de expressão assustadora me encarado. A identidade deste homem era: Primeiro Príncipe do Reino de Kudan, Arc Kudan.
Eles estavam no meio de um encontro! — Não me surpreendia em nada que ele estava com raiva, afinal, eu também teria ficado se estivesse em seu lugar.
Mas que hora ruim…
— ... Pensando melhor, acho que não precisa, Iris. Eu não quero atrapalhar, então você deveria ficar aqui admirando as flores enquanto vou procurar o caminho.
— Obrigada, mas posso vir a qualquer hora aqui. Eu não quero te deixar sozinho quando você está precisando de mim, Kururi.
— Não, veja… — Com um gesto visível apenas para ela, apontei para o Príncipe.
Ela deu uma olhada para trás.
— Ah, não ligue para isso, ele não se importa. Nós estávamos apenas dando uma caminhada, só isso.
Iris-san preste atenção na minha situação!!!
O Príncipe Arc estava bem furioso. Ele provavelmente estava pensando, “Que infernos! Como ele pode ser mais importante que eu?!”, enquanto perigosamente olhando para mim.
— ... Se você realmente estiver bem com isso...
— Claro, pode contar comigo!
Crossy e eu fomos liderados por ela, com um certo Príncipe não muito distante atrás… Talvez porque estava preocupado com o animal feroz nos seguindo, Crossy se forçou muito próximo a mim, como se estivesse com medo de ser comido no instante em que se afastasse.
Iris...? Não vai perguntar nada sobre o Crossy? Fiquei sabendo que você já havia ouvido falar nele, mas...
Falando no Crossy, ele foi até a Iris contar aonde precisávamos ir, assim ela poderia nos guiar de forma apropriada. Talvez porque estava muito atento à conversa deles, não percebi a presença maliciosa que sorrateiramente se aproximou de mim.
— Irei me lembrar disso, então é melhor que esteja sempre alerta. Eu conheço bem a sua face, Kururi Helan. — Essas palavras assustadoras, saídas de um filme de terror, vieram de trás de mim. O Príncipe continuou caminhando ao meu lado enquanto me encarava.
O que você fará se a Iris perceber isso?! — Eu gostaria de ter a coragem para dizer isso na cara dele, mas não podia, afinal, mesmo com o Príncipe sendo tão hostil, nada de bom viria ao jogar mais lenha na fogueira. Este era o momento ideal para praticar a minha técnica de fingir que nada havia acontecido.
— Hehehe, é meio engraçado, pouco tempo atrás o Vaine também veio me perguntar a direção. Acho que ele queria ir até a fonte.
— Sério?! Ele passou aqui?!
— Sim, também o guiei até lá e, quando o Príncipe e eu retornamos, você também estava lá, Kururi.
— Iris, para qual fonte que vocês foram?
— Serei a sua guia, então apenas aguarde um pouco e chegaremos lá.
Com Iris na liderança, nós finalmente poderíamos chegar na fonte. Ela disse que gostaria de nos guiar até o fim, mas, por razões óbvias, eu logo recusei. De acordo com Crossy, se demorássemos mais, o Vaine já teria ido embora, então, uma vez que estivéssemos perto o suficiente, iríamos nos separar do Príncipe e dela.
Ugh... Logo depois da Eliza, a próxima pessoa que eu provoquei foi o primeiro Príncipe... Ahh, posso ver a minha vida acabando em um trágico “acidente” em breve… E olha que eu havia decidido não me envolver com a trama do jogo ao máximo possível...
— Ali estava a fonte. — Crossy disse enquanto caminhava.
A grande fonte que vi outro dia, estava diante de mim outra vez. Quando a água jorrada pela fonte se acalmou, duas pessoas foram reveladas em nosso campo de visão.
Agora que penso nisso, algo assim já não aconteceu antes? — Olhando um para o outro apaixonadamente, Vaine e uma garota que eu nunca vi antes estavam do outro lado.
— Wah, Shishou, isso é...
— Sim, não há de dúvidas… —
Uma confissão! Quem iria imaginar que no curto espaço de uma semana, já havia alguém apaixonado por ele! Bom trabalho Vaine, você é realmente um playboy nato!
— Vaine-san… — Surpreendentemente, a primeira a falar foi a garota.
A voz dela estava um pouco trêmula. Olhando bem o seu rosto, pude notar que ela era bonita e ficava ainda mais atraente quando vista de lado.
— Aquela garota está na mesma Classe C que eu. — Crossy disse em voz baixa.
A expressão que ele fez deixou uma impressão estranha em mim. Será que também estava interessado naquela garota?
— Obrigada por vir até aqui hoje. — A garota deu um passo adiante e continuou a falar enquanto seu olhar alternava entre Vaine e o chão.
— Wow Shishou, por alguma razão, o meu rosto está ficando quente.
— Sim, o meu também, mas Crossy… — Talvez, se eu fosse uma garota, estaria gritando algo como “Aiiieee~~”, nesse momento.
— Diga-me o que você precisa, e seja breve. — Vaine respondeu de maneira cruel.
Não era isso o que você devia dizer! — Crossy com certeza estava pensando a mesma coisa, já que franziu as sobrancelhas. Isso também me deixou um pouco aborrecido.
— Shishou, esse cara é um idiota. Será que ele vai ficar bem?
— Eu não sei, vamos apenas assistir por enquanto.
Nossas vozes se tornaram um pouco mais altas devido à frustração.
Espere, não parecemos realmente perturbados agora? Isto é péssimo, vai manchar a nossa masculinidade! O que devemos fazer?!
— Oh umm ... eu...
— O que?
— Isso, desde a primeira vez que nos vimos... sobre o Vaine-san...
— O que tem sobre mim?
A voz da garota não saiu de seus lábios trêmulos.
Não se apresse! Também, o que diabos você estava dizendo a ela, homem?! — Se fosse eu, teria colocado minhas mãos em seus ombros para acalmá-la.
— Agora! Vá em frente!!! — Crossy e eu aplaudíamos enquanto corados, mas seria péssimo se acabássemos sendo ouvidos. 

— VAINE-SAN! EU ME APAIXONEI POR VOCÊ À PRIMEIRA VISTA!
Reunindo sua coragem, ela disparou sua confissão com uma voz forte e elevada.
Crossy parecia estar prestes a desmaiar e meu coração estava batendo ruidosamente, pensei até que eles pudessem estar o ouvindo.
— … Realmente? — Sem mudar sua expressão, Vaine respondeu para a menina.
Crossy e eu ficamos ansiosos em saber qual seria a resposta dele.

◇◇◇

Ei! Diga alguma coisa! Não fique quieto sua besta!
— P-podemos começar a namorar? — Cansada de esperar uma resposta, a menina gaguejou essas palavras.
— Desculpe, não posso. — Vaine acabou com as esperanças dela. 
— ... Eu não sou boa o bastante?
— Ah, não é o bastante.
Você não tem palavras mais amáveis ​​do que isso?! Se eu tivesse uma espada agora, te apunhalaria com ela! O que você quer dizer com “Ah, não é bastante”?! Ela é linda sabia?!
— Shishou, tudo bem se eu bater nele depois?
— Aprovado e ainda te ajudo!
Por enquanto, como ela iria reagir?
— Por favor, pode me dizer o por quê? Se não puder, eu não terei como desistir você!
— Porquê?
Vaine assentiu uma vez e, em seguida, começou a falar.
— Minha vida escolar é divertida graças aos meus amigos e tenho muitos planos com eles. É por isso que estou ocupado demais para lidar com algo assim.
— Eu-eu entendo... Obrigada por ter vindo hoje...
A garota soluçou um pouco, disse adeus e saiu correndo. 
— Shishou, esses amigos que ele estava se referindo, somos nós?
— Provavelmente.
— Shishou, você também quer se bater agora?
— Sim.
— Shishou, esse cara é um idiota.

— Sim, ele é...

Se você gostou deste capítulo, CLIQUE AQUI, solucione o Captcha e aguarde

por 5 segundos, assim estará apoiando a Anime X Novel!





Share on Google+

Faça uma busca aqui por mais Novels e Mangás em nossos Sites Parceiros!

You Might Also Like

Comment Now

0 comentários