♪♫ Player Rádio J-Hero ♫♪

- Revisado Capítulo 6-6

Acompanhe os capítulos de [WN] Death March Kara Hajimaru Isekai Kyousoukyoku Chapter Revisado Capítulo 6-6 traduzidos para o português brasileiro (PT-BR) aqui na Anime X Novel. Os capítulos podem sempre ser acompanhados em Anime X Novel. Visite nosso site diariamente Anime X Novel para não perder nenhuma atualização e não se esqueça de compartilhar com os seus amigos.

[Reportar Erros de Visualização / Dificuldades de Acesso / Links Vazios]

Publicidade







Death March Web Novel Online 6-6
[Taberna e Mais Rumores]




Ler Web Novel Death March Kara Hajimaru Isekai Kyousoukyoku. Death March To The Parallel World Rhapsody Ilustração Capítulo 6-6


Satou aqui. Nos jogos de videogame mais antigos, a taberna era útil apenas para trocar membros do grupo, porém em RPGs também era o melhor local para coletar informações das missões do jogo.
Já que bêbados falam de mais.




◇◇◇



Obrigado por esperar, Nana.

Yes, Masuta.

Ugh, talvez eu a tenha feito esperar por tempo de mais.

Provavelmente por causa do capuz que estava usando, nenhum marmanjo com intenções duvidosas tentou se aproximar dela, mas pela sua expressão aborrecida era óbvio que Nana estava entediada.

Masuta, “prosseguir, assim sugiro”. — Nana aconchegou-se no meu baço e começou a andar.

Hmm, Nana-san? Meu braço está no céu.

Como a varinha longa que comprei para Mia estava atrapalhando, troco-a para a outra mão.

Alguma coisa de errado?

— “Enquanto o Masuta estava na loja, observei organismos adultos de sexo oposto caminhando, assim informo”.

Que sensação de mal agouro é esta que estou sentindo…

— “Quando organismos adultos de sexo oposto caminham juntos, eles andam de braços e com os dedos interconectados”, assim explico.

Ela disse essa informação fazendo uma cara de “Sou ou não sou inteligente?”. Eu podia até ouvir a onomatopeia disso.

Rudy: Coloquem no Google キリッ nas pesquisas por imagens e vocês vão entender. Os Japas usam onomatopeias para as coisas mais estranhas kkkkk

Como não havia qualquer razão especial para para me separar dela, continuamos as compras do jeito que estávamos. No entanto, como a Nana parecia realmente que queria ser elogiada, li bem as entre linhas e lhe fiz um elogio. Foi sutil, mas ela pareceu satisfeita. Eu também estava satisfeito com a sensação incrível no meu braço.

Primeiro, compramos roupas para a Nana e a Mia.

Infelizmente, nenhuma das lojas nesta cidade vendia roupas já prontas, exceto as de segunda mão. Se quiséssemos roupas novas, teríamos de costurá-las por conta própria. Se não me engo, a Arisa disse que sabia costurar, então decidi comprar tecido e materiais de costura.

As lonjas vendiam roupas íntimas sem problema, então comprei suficiente para as duas. Esse modelo de calcinhas era chamado de ceroulas ou coisa do tipo, não era? Parecia até que tínhamos entrado no País das Maravilhas de Alice.

Em seguida, hora de adquirir algumas ferramentas.

Ao perguntar a um pedestre a localização, comprei várias ferramentas para marcenaria, escultura em metal, artesanato em couro e ferraria.

Também comprei cola, pregos e outros materiais, mas, fora os pregos, todos foram caros. Eu também queria comprar algumas dobradiças, mas não estavam disponíveis.

Outros itens necessários para ferraria, como bigorna e fornalha também estavam em falta, então não pude comprá-las. Embora, mesmo que pudesse, não tinha como carregá-los de qualquer maneira.

Como seria muito chamativo trazer por conta própria madeira para a pousada, paguei para que fosse entregue depois.

Nana, podemos ir para a loja seguinte?

— “Masuta, solicito um pouco mais de tempo, assim insisto”.

Está se divertindo?

— “Sim, muito. É tão fofinho e macio... sim, totalmente macio…”

Como a Nana tinha ficado fascinada com os restos das raspas de madeira da aplainagem, passamos um pouco de tempo na marcenaria. Se o velho da oficina não tivesse nos as aparas de madeira mais finas e longas, sem dúvida alguma teríamos ficado na loja até o anoitecer.

Comprei frascos e recipientes para armazenar medicamentos que acidentalmente vi numa outra loja próxima da ferraria. O preço aqui era mais acessível do que na cidade de Seryuu, possivelmente em razão da lenha para acender as fornalhas serem baratas.

Por fim, fomos ao armazém geral.

De acordo com o que aprendi na loja de magia, poderia haver livros de culinário neste local. Quando entramos, Nana ficou olhando incansavelmente o ambiente até que finalmente parou em uma vitrine em especial?

Encontrou alguma coisa de interessante?

Masuta, “o que é isso?” Assim questiono. — Nana disse pegando uma presilha de madeira em sua mão.

O design foi simples, com três pequenas pedras claras atadas na presilha. As pedras não eram pedras preciosas, mas seixos comuns que poderiam ser achados no leito de um rio. Parecia jade, então avaliei por um instante e o resultado foi [Actinolita]. O nome soava como se pudesse ser usado como catalisador para a Magia de Luz, mas era apenas uma pedra bonita.

O preço de mercado da presilha era de duas moedas de cobre. Ao todo, havia outras 5 presilhas de madeira, mas todas têm o mesmo preço.

Elas eram um pouco simples demais para decorar o cabelo cor de mel da Nana. Provavelmente uma presilha prateada ficaria melhor no cabelo dela.

Porém, Nana a estava admirando sem se cansar.

A velha da loja quando viu isso começou a promover suas presilhas.

Fe, fe,fe, se estiver interessado, eu também tenho uma feita de prata e até inclusive com pedras preciosas de verdade. Gostaria de ver?"

Já que a senhora está oferecendo, vamos dar uma olhada sim.

A velha senhora então coloca três presilhas caras feitas de prata sobre a mesa e eu imediatamente coloco uma contra o cabelo de Nana.

Sim, o prateado combina bem com ela.





◇◇◇



Ah meu Deus, que linda esposa o senhor tem.

Sim, muito obrigado. Eu ainda fico encantado às vezes.

Eu certamente tinha me acostumado com os belos rostos de Lulu e Arisa, mas Nana e Mia tinha feições únicas e lindas também. Claro, ela não era realmente minha esposa, mas não tinha razões para refutar os elogios.

Nana acaricia o primeiro prendedor de cabelo com os dedos em êxtase, mesmo enquanto conversávamos.

Você realmente gostou dele, hein?

Sinto muito pela velha por trazer as outras coisas, mas no final, acabei comprando a presilha de madeira. Também comprei várias tranças azuis que estavam por perto como lembrancinhas. O que vinha bem a calhar, pois a Lulu costumava amarrar um cordão de cânhamo no cabelo quando sempre que preparava o café da manhã. Também tinha fitas, mas não as comprei. Eu já tinha dado algumas para Lulu de presente antes, mas nunca a vi usando. Provavelmente não era do seu agrado.

Agora, tudo o que restava era os livros de culinária, mas acabei tendo uma surpresa quando pedi por eles. Ao invés de um livro de receitas com as comidas típicas da cidade, ou listando os ingredientes disponíveis na região, havia apenas um guia gourmet. Claro, eu comprei de qualquer jeito, mas não parecia que seria útil para melhorar minhas habilidades na cozinha.

— O senho está procurando por ingredientes incomuns? Que tal algumas ervas ou vegetais em conserva?

A velha trouxe de dentro de uma prateleira algumas garrafas e potes lacrados com barbante.

Cerca de 20 tipos diferentes de ingredientes como alho e alho-poró no óleo em conserva, repolho e repolho chinês em conserva, e pó amarelo que se parecia com mostarda seca, entre outros.

Mesmo com tanta variedade, nada de ameixa em conserva, hein? Que pena.

Por sorte, tinha ingredientes doces como mel, um tipo de adoçante feito com folhas de uma espécie de chá-verde secas e maceradas chamadas de Ugi, as quais comprei sem ressalvas.

Além disso, de alguma forma fui persuadido a comprar uma ferramenta para extrair a gordura da carne.

Velha, a senhora é boa em negócios.

Devido ao monte de coisas que comprei, pensei em fazer várias viagens da loja até a pousada, mas a velha chamou rapaz forte dos fundos da loja e o mandou levar as compras.

Certo, quase me esqueci.

A senhora teria um alaúde?

Sim, eu tenho. — A velha aponta para Nana.

Na mesma mesa em que estavam os prendedores de cabelo. Eu não vi apesar de estar bem na frente dos meus olhos.

Acontecia com frequência.

Compro o alaúde e as cordas para a Mia. Tentei tocar a corda e, [Tiin], os sons fluíram normalmente.

> Habilidade: [Performance Musical] foi adquirida.





◇◇◇



Ehehe ~ Olha, olha essas belezinhas!

A carruagem estava carregada de ingredientes, madeiras e ferramentas que comprei. O que Arisa apresentou foram ovos dentro de uma cesta, com cerca de 20 deles.

Foi meio caro, mas consegui alguns ovos de pato ~ ♪ Com isso a gente vai poder comer pratos de ovos!

Ovos estragam rápido, então precisamos pensar no que fazer o mais rápido possível. Por quanto tempo você acha que podemos guardar?

Já que é inverno, talvez por uns 2 ou 3 dias?

Hmm, acho que com karaage ou croquete cairia bem.

Vo-você sabe fazer isso?

Se alguém me disser a receita, não teria problema, agora eu só me lembro vagamente dos ingredientes e do processo…

Tentei levantar o assunto para Arisa, mas parecia que ela também não sabia.

Ugh, eu não deveria ter desistido de aprender a cozinhar por conta própria.

Eu mal me lembrava se realmente eram ovos e farinha. Será que não era fécula de batata?

Já que o [Armazém] conseguia conservar os alimentos, decidi colocar 5 ovos dentro e partir para o tentativa e erro durante a jornada.

Mais tarde, Liza me ensinou que ovos levavam meses para estragar.

Os ovos modernos não têm prazos de validade muito curto?

Eu não sabia dizer se o motivo foi de estarmos em um universo paralelo ou não, mas eu não iria reclamar da durabilidade.

Decidimos jantar na taverna do primeiro andar da pousada naquela noite. Como havia um espaço vazio atrás, juntamos duas mesas e sentamos ali. Mia se sentou na cadeira mais atrás, pois em breve o salão ficaria cheio e ela não se dava bem com multidões.

A refeição consistiu de uma quantidade moderada de lombo com legumes cozidos, sopa de peixe e rabanete, legumes fritos, frutas vermelhas secas, pão achatado feito de fruta Gabo e folhas de Gabo em conserva. Não tinha muita carne, mas as meninas beastkin ficaram satisfeitas em conseguir encher a barriga com alguma proteína.

Do meu lado oposto, Mia continou tocando o alaúde que tinhamos acabou de comprar mesmo durante o jantar. Ela tinha gostado com toda certeza.

Mia, coma primeiro a sua refeição.

Nn.

Ela acenou com a cabeça ao ouvir minhas palavras, mas não largou o alaúde. Suas mãos pararam de dedilhar as cordas, mas parecia que ela estava se questionado se continuava ou se comia.

Aan.

Ela abre a boquinha ao mesmo tempo em que voltou a tocar o alaúde. Como ela parecia um pássaro jovem e fofo, coloquei um pedaço de legume cozido em sua boca. Ela mastigou com força enquanto tocava música.

Eu me pergunto se é uma canção típica dos elfos. Talvez ela esteja tocando como forma de aliviar a saudade de sua casa.

Minhas mangas foram puxadas para o lado, e quando olhei para lá, Arisa estava abrindo a boca enquanto aponta o dedo para si.

Aa~an.

Se vire.

Ei! Fazer isso apenas com a Mia, não é injusto?

Colocando dessa forma você me deixa sem escolha.

Eu dei a ela um bocado de folhas de Gabo em conserva. Era um sabor único, azedo e amargo. Ela provavelmente não iria pedir de novo depois disso.



Ela ficou murmurando "Mugu!" e "Do-doce, preciso de algo doce!", mas como não veio me amolar mais quer dizer que foi um sucesso.

Satou, Aan.

Aa~n?

Aan, nano desu.

O que me aguardava era Mia, com Pochi e Tama abrindo a boca para mim. Quando as três ficavam alinhados assim, eles realmente se pareciam com filhotes de pássarinho. Eu coloquei um bocado para cada um por sua vez.

Em seguida, Lulu também veio fazendo, "Aan” de maneira tímida.

Olha, uma garota atraente prendendo seu cabelo de lado e fechando os olhos enquanto abrindo a boquinha me causa uma reação bem diferente.

Liza também se juntou ao grupo dizendo "Aan" como se estivesse participando de alguma coisa interessante, mas para ela eu não tinha comentários. Seu rosto não mostrava qualquer timidez ou desconforto, por isso provavelmente não tinha problema.

Minha manga foi puxada novamente.

Eu pensei que era Arisa outra vez, só que o puxão veio do lado oposto. Ali, Nana está fazendo, "Aan", enquanto apresenta um prato.

Entendi. Como a Nana não pode comer ainda, ela está se oferecendo para me servir ao invés.

Eu não tinha problema em alimentar garotinhas, mas quando se tratava de mulheres atraentes, o poder destrutivo era avassalador. Acabei comendo ainda assim enquanto me sentia envergonhado.

A nossa Violeta-san do lado oposto aparentemente não suportou a minha atitude, e ela estava agora resmungando coisas como "Flertar é proibido" ou "Riajuu deveria simplesmente explodir". Pelo visto, um novo "Aan", estava terminantemente proibido a partir de agora.

Quem começou com isso em primeiro lugar foi você Arisa, lembra?

Após ser repreendida por Liza, Mia passou a se concentrar na sua comida, o que foi um pouco chocante, pois ela me ignorou completamente — talvez eu a estivesse mimando de mais — e assim o jantar prosseguiu enquanto eu me sentia como um pai com filhas na fase rebelde.

Tendo terminado o jantar primeiro, Mia começou a tocar algumas músicas. Por outro lado, Arisa e as garotas beastkin estavam comendo a sua segunda porção.

No começo a música era calma, mas depois ficou mais animada a pedido dos bêbados. Mesmo que Mia estivesse tocando com um rosto inexpressivo e desinteressado, ela ainda atendia aos pedido impulsivo dos bêbados sem questionar.

Assim que começou o recital, os visitantes foram aumentando até lotar a taberna, sendo que, quando chegamos, estava tudo vazio. Arisa decidiu ajudar anotando os pedidos da plateia de bebuns. Ela conseguiu fazer isso ao mesmo tempo em que mordiscava sua refeição, de maneira habilidosa.

E então, quando terminaram de comer, Arisa levou Pochi e Tama para dançar e cantar juntas ao ritmo da música. As três estavam usando capuzes, então pareciam sutilmente suspeitas. Achei a canção estranhamente nostálgica até que percebi que se tratava da anisong que Arisa cantou durante viagem.

Que música divertida, hein?

É algo muito famoso na cidade natal daquelas meninas.

O comerciante no assento atrás começou a falar comigo, então estávamos conversando enquanto servindo nossos copos com bebida. Apenas como nota adicional, eu estava tomando suco de frutas, não de álcool. A única bebida servido no bar era uma cerveja muito azedada, ou melhor, de acidez intragável.

As histórias do nosso bate-papo foram em sua maioria inofensivas, mas também com algumas interessantes. Em resumo, os chats foram assim.

Acabei de passar pelo território do barão Muno e a população das vilas me ofereceram para comprar pessoas escravos de várias aldeias por lá. Foi terrível.

A colheita deste ano não foi tão ruim, então eu me pergunto o por quê?

Falando em escravos, se você trouxer algum do território do barão Muno é precisa pagar um imposto. Fazendeiros que querem ir para outro território também precisam pagar uma taxa de emigração. Os soldados da fronteira são especialmente restritos quanto a isso.

Os mercadores estremecem exageradamente por quase se tornarem eles próprios em escravos.

De acordo com o meu guia de viagem, o território Muno supostamente deveria ser um Marquesado, por isso perguntei.

Você não sabia, meu jovem? Eles certamente foram marquêses até cerca de 20 anos atrás, mas toda a família Muno acabou sendo atacada por enormes hordas de mortos-vivos. O castelo, os soldados, e a família, todos foram massacrados.

Esqueci do título, mas tenho certeza de que escreveram um livro e drama até ganhou uma peça de teatro sobre o assunto.

Naquela época, foi um alvoroço porque todo mundo imaginou que fosse um ataque de Rei Demônio. Os preços dos mantimentos e remédios subiram muito e acabei tendo um enorme lucro.



Foi uma história de imprudência e o fazia parecer um comerciante sem escrúpulos.

Também me lembro de me sentir aliviado por o rei ter ordenado que os cavaleiros templários fossem despachados, limitando o exército morto de transbordar para outros territórios.

Todas as famílias relacionadas ao marquês Muuno, incluindo membros que se casaram em outras casas, morreram de causa misteriosa. O barão atual supostamente não tem absolutamente nenhuma relação com o antigo. Ele é sobrinho ou irmão mais novo do duque vizinho e sucedeu o nome da família para administrar o território.

Essa história me soava familiar. O que me veio à mente foi um rosto esquelético (do Zen).

Eu me aproximei da conversa e fui distraindo as pessoas servindo bebidas para elas enquanto a história prosseguia.

Há um boato estranho sobre aquele ducado. O comprador de cadáveres que paga bem pela carcaça de qualquer coisa.

Isso não é apenas um boato? Ouvi falar de uma floresta que virou local sagrado de enterros para alguma ceita. Pelo que me disseram, o boato começou com alguém que viu o processo no meio da floresta.

É isso mesmo! As pessoas falam que essa ceita viaja na estrada onde monstros e lobos aparecem por vários dias enquanto carregam os cadáveres. As pessoas fazem qualquer loucura em nome da fé.

Ei, esse não é um comentário que possa ser dito por mercadores como nós.

No entanto, [Comprador de Cadáveres] soa como algo que daria um excelete título de romance.

Falando no duque, eu tinha ouvi um boato pela manhã.

Aparentemente vai acontecer um torneio de luta no ducado. Todos estão familiarizados com isso?

Pode apostar que sim. Onde houver pessoas reunidas, nós comerciantes estaremos por lá também.

Embora quando o comércio aflora em um lugar assim, quer dizer que em outro ponto uma nova oportunidade de negócio se vagou. Pretendo preencher essa lacuna para o meu comércio.

Imaginei que este fosse um mundo em que a circulação de mercadorias levasse tempo, mas, pelo visto, havia muitas maneiras de se ganhar dinheiro.

A performance de Mia parou antes que eu percebesse. Os que estavam ao seu redor insistiam com ela continuasse, mas pelo visto já tinha sido mais que o suficiente, quando ela disse "Cansada.", e se deitou no meu colo.

Eu acho que você não precisava ter ido ir tão longe como sentar em mim por debaixo dos panos da mesa.

Aproveitamos a chance e voltamos para o quarto e a Arisa disse:

Recebemos muitas oferendas ~ ♪. — enquanto mostra uma tigela com muitas moedas.

Eram principalmente moedas de um centavo, mas algumas moedas de cobre se misturaram no meio. Bastante generoso, de um bando de bebuns.

Deixei a Mia dormindo na cama.

Como esperado, sem chance de haver um quarto para oito, então aluguei dois quartos com quatro camas. Eu e as meninas beastkin ficávamos em um, enquanto a Arisa e as outras no outro.

Tivemos várias disputas para saber quem dormiria com quem e, sinceramente, eu precisava bolar algum plano para impedir a Nana de inocentemente querer dormir comigo. Muito perigoso.

A minha intenção era fazer uma passeio na vida noturna enquanto as meninas se recolhiam, mas acabei sendo parado pela Pochi e a Tama que me chamaram “dormir juntos, nanodesu” com os olhos brilhando de antecipação enquanto atavam as minhas mãos nas delas. A provável responsável por isso era a dona Arisa no outro quarto, mas eu não tinha coração de pedra o suficiente para afastar as duas crianças alegres a fim de me entregar aos meus próprios desejos.

Bem, a noite é uma criança e hoje eu estaria deixando a programação adulta de lado…




Tags: [WN] Death March Kara Hajimaru Isekai KyousoukyokuChapter Revisado Capítulo 6-6 [WN] Death March Kara Hajimaru Isekai KyousoukyokuChapter Revisado Capítulo 6-6Revisado Capítulo 6-6 online, Revisado Capítulo 6-6 [WN] Death March Kara Hajimaru Isekai KyousoukyokuChapter Revisado Capítulo 6-6 [WN] Death March Kara Hajimaru Isekai KyousoukyokuChapter, Rudeus Greyrat

Rekomendasi

Comentários (0)

Apoie

Se gostou do capítulo, considere apoiar os nossos projetos. Sua doação é livre e nossas traduções inteiramente gratuitas. Você também pode ajudar visitando todos os dias a nossa página gerando visualizações e adquirindo produtos que sejam do seu interesse de nossos anunciantes. Muito obrigado pela atenção e tenha uma ótima leitura!