♪♫ Player Rádio J-Hero ♫♪

- Capítulo 10-1

Acompanhe os capítulos de [LN] Death March Kara Hajimaru Isekai Kyousoukyoku EX Chapter Capítulo 10-1 traduzidos para o português brasileiro (PT-BR) aqui na Anime X Novel. Os capítulos podem sempre ser acompanhados em Anime X Novel. Visite nosso site diariamente Anime X Novel para não perder nenhuma atualização e não se esqueça de compartilhar com os seus amigos.

[Reportar Erros de Visualização / Dificuldades de Acesso / Links Vazios]

Publicidade







Death March Kara Hajimaru Isekai Kyousoukyoku EX | Histórias Longas

[As Antigas Companheiras de Liza – Parte I]




"Parece que tudo o que resta é encontrar um artista para os cartões de estudo"

"Cara, essa parece ser a parte mais difícil embora"

Eu estava andando pelo mercado com a Liza para pegar mantimentos para nossa partida da Cidade Seiryuu, quando esbarrei no jovem comerciante de antes. Foi ele quem me vendeu os cartões de estudo no mercado de pulgas.

Ele já encontrou um artesão que fará a marcenaria e adquiriu um suprimento de madeira para as cartas. Agora ele só precisa encontrar alguém que compre as cartas por 1 moeda de prata.

"Houve muitos artistas que disseram que fariam isso por 2 moedas de pratas, mas eu estarei perdendo dinheiro com esse preço"

Acho que não há muitos artistas loucos o suficiente para comprar o conjunto de 100 cartas por apenas 1 moeda de prata ou 25 moedas de cobres.

"Já tentei todos na guilda. Não sei onde mais posso ir"

O jovem comerciante tem o rosto de um cachorrinho abandonado na beira da estrada.

Eu adoraria apresentá-lo a alguém, mas não consigo pensar em ninguém que pudesse ajudar... Ah, espere.

"Você está familiarizado com a loja geral perto da praça do portão? Nadi-san tem muito boas conexões, então ela pode encontrar um artista para você"

"Tem alguém assim? Obrigado, vou dar uma olhada!"

Ele diz isso enquanto corre, parecendo muito mais animado do que antes.

"Hum?"

Percebo algo errado depois que o comerciante sai.

Liza estava bem ao meu lado, mas ela não está mais aqui. Eu me viro para vê-la olhando fixamente para um beco. Ao contrário da movimentada rua principal, o beco dos fundos está quase vazio.

"Liza, o que há de errado?"

"--Mestre, minhas desculpas. Não é nada"

Ela responde com essas palavras, mas seu rosto está dizendo o oposto.

As escamas laranja em seus ombros e braços parecem ter uma cor mais opaca do que antes.

Sua cauda geralmente enérgica está deitada sem vida no chão.

"Você pode me dizer se você quiser falar sobre isso"

Eu me ofereço para ouvi-la, mas Liza apenas sussurra "Havia alguém que parecia um conhecido"

Aparentemente, ela viu alguém que se parece com um dos escravos na casa de seu mestre anterior.

"Não temos mais planos para hoje, então você pode ir falar com eles se quiser"

"Não, eu estava enganada. Era uma pessoa diferente"

Liza balança a cabeça ao dizer isso e começa a se afastar.

"Era alguém de quem você era próxima?"

"Sim, nós escravos demi-humanos temos que trabalhar juntos, ou não conseguiremos sobreviver..."

Isso é bem pesado.

Mas, se eles moravam juntos nessas condições, é natural que ela se importe com eles.

"Urs era o mestre deles também?"

O mestre anterior da Liza, Urs, era alguém que conheci durante o incidente do motim. Mas, ele já foi morto pelo demônio que o possuía.

"Não, nosso mestre original era o líder do grupo do Urs. O líder estava apenas nos emprestando ao Urs"

Eu entendo. Se bem me lembro, Urs deveria ser um membro da guilda Ratos de Esgoto.

"Nesse caso, talvez eles ainda estejam morando no mesmo lugar de antes?"

"Sim, isso é provável"

Liza expressa seu acordo.

"Vamos deixar esses suprimentos na pousada e dar uma olhada então"

Os Ratos de Esgoto parecem ser uma guilda criminosa, então não é impensável que eles estejam abusando dos amigos da Liza. Se for esse o caso, talvez eu possa ajudá-los um pouco.

Eles podem se recusar a nos deixar encontrá-los, mas isso é um trabalho para minhas habilidades [Suborno] e [Negociação].

"Está tudo bem?"

"Sim, claro"

Liza parece um pouco envergonhada, então eu aceno para ela com um sorriso.

No caminho de volta para a pousada, Liza me conta um pouco sobre seus amigos.

Parece que são vários. Eu conseguia me lembrar da mulher da tribo dos ursos e da mãe leopardo com um bebê já que ela falava mais sobre essas duas. O resto delas está um pouco borrado na minha cabeça.

"Ah--! O cara!"

"É ele!"

Ao passarmos pela praça do portão, ouço algumas vozes balbuciando falando sobre mim.

Olho para a fonte da voz e vejo crianças da tribo dos cães e dos gatos acenando animadamente para mim.

Eu já vi sua aparência fofa de bicho de pelúcia antes. Devem ser as crianças a quem dei frango grelhado há algum tempo.

Parece que eles não têm ninguém cuidando deles, então eu vou falar com eles. Liza pega o resto da bagagem e volta para a pousada.

"Vocês vão fazer uma tarefa em algum lugar?"

"Não"

"Nós temos ervas"

"Mestre vai também"

Eu pergunto a eles com um tom gentil, e as crianças respondem de uma só vez.

"Cala a boca. Os pirralhos barulhentos são os que serão alvejados primeiro"

Do portão, uma velha senhora humana chamada Yona interrompe sua conversa com o Cavaleiro Thorne para gritar com as crianças.

Aparentemente, esta velha senhora é a dona das crianças.

"Desculpe"

"Por favor perdoe"

As crianças repreendidas pedem desculpas à velha senhora.

"Quem diabos é você?"

A velha, que estava olhando para as crianças com as mãos nos quadris, se vira para mim.

"Prazer em conhecê-la, eu sou o comerciante viajante Satou", me apresento para a velha senhora.

"Que negócios você tem com esses nanicos?"

A velha senhora se coloca entre mim e as crianças. É quase como se ela estivesse tentando defendê-los de mim.

"Mestre!"

Eu ouço uma voz raspando vindo de trás deles.

A dona dessa voz, uma mulher de cabelos compridos, da tribo dos ratos, corre para o lado da velha e estende a mão para protegê-la.

Sua outra mão está no cabo do machado em seu quadril.

"Espere"

"Não"

"Ele é bom rapaz"

As crianças atrás da velhinha tentam chamar sua atenção.

Depois de ouvir sobre o frango grelhado e a carne seca que dei a eles, ela relaxa os ombros.

"Ah, então era você. Você é o que os nanicos estavam falando"

Ela ordena que a garota da tribo dos ratos.

"Você tinha que ir em frente e se intrometer"

O rosto enrugado da velha senhora tem uma expressão amarga.

"Ele não é ruim"

"Ele bom"

"Eu falei para calar a boca!"

A velha grita com as crianças que estavam tentando me defender.

"Eu estava tentando ensinar esses nanicos a terem cuidado com os humanos, mesmo que eu tivesse que bancar a vilã um pouco"

"Por que você faria algo assim?"

"Porque as pessoas aqui são duras com demi-humanos como eles"

Eu penso em toda a perseguição contra demi-humanos que eu vi em meu curto período na Cidade Seiryuu.

É como ela disse. Se eles não forem cuidadosos, eles podem facilmente ser agredidos. Ou, se forem realmente azarados, até linchados sem motivo real.

A velha está preocupada com isso, e está ensinando as crianças a terem cuidado com os humanos.

"Você compreende agora?"

"Sim, minhas desculpas. Fui impensado em minhas ações"

"V-você é certamente muito honesto..."

Depois que peço desculpas por minhas ações, a velha parece surpresa.

"Bem, que seja. Tenha mais cuidado se você estiver se intrometendo nos negócios de outras pessoas. E, não seja tão amigável com esses nanicos, entendeu?"

Eu aceno silenciosamente.

"--Bem, eu tive meu quinhão também. O frango e carne seca não foram tão ruins"

A velhinha sorri ao dizer isso e sai do portão com os ratos e as crianças.

As crianças da tribo dos cachorros e dos gatos continuam se virando para acenar para mim.

Eles realmente são como bichinhos de pelúcia fofos em movimento.

"Tch, aquela velha esquisita e seus escravos de novo"

"Boa dor, o portão cheira a fera agora"

Alguns fazendeiros empurram seus carrinhos pelo portão. Depois de passar pelo grupo da velha, os fazendeiros começam a insultá-los pelas costas.

Posso entender algumas diferenças de opinião, mas me sinto mal depois de ouvir as observações claramente discriminatórias.

Eu sei que um estranho como eu não pode fazer nada sobre isso, mas...

"Geh--"

"V-vamos sair daqui"

Quando os fazendeiros fazem contato visual comigo, eles se assustam e fogem rapidamente com seu carrinho.

Parece que eu posso ter ativado inconscientemente minha habilidade [Intimidação].

"--Discriminação racial, hein?"

Estava lá no meu velho mundo também, mas parece ser mais forte aqui devido às diferenças raciais serem mais proeminentes.

"Mestre, desculpe mantê-lo esperando"

Depois que a velhinha e seu grupo desapareceram ao longe, Liza volta depois de deixar a bagagem na pousada.

Os agricultores de antes também não estão à vista.

"Deixei você esperando~?"

"Nanodesu!"

Por alguma razão, Tama e Pochi também estão aqui.

"Minhas desculpas, quando eu disse que ia encontrar os outros escravos, elas quiseram vir também..."

Olho para a Liza e ela explica o que aconteceu.

"Não precisa se desculpar, vamos então"

Sorrio para a Liza e dou permissão para que as duas venham.

"Sentindo-se mal~?"

"Sua barriga dói nanodesu?"

Tama e Pochi olham para mim preocupadas.

Parece que eu ainda estou um pouco para baixo depois de ver esse incidente mais cedo.

"Dor, dor~?"

"Vá embora! nanodesu"

Vê-las sempre faz meu coração se sentir quente e confuso.

"Estou melhor agora graças a vocês duas"

Mostro minha gratidão as duas acariciando suas cabeças.

"Se você não está se sentindo bem, então não temos que ir-"

Liza parece estar preocupada comigo também.

Eu sou um fracasso como guardião se continuar preocupando-as assim.

"Estou bem agora"

--Tudo bem!

Eu coloquei meu sorriso mais brilhante possível.

"Ok Liza, mostre o caminho"

"Entendido"

E assim, seguimos Liza até a base dos Ratos de Esgoto no bairro oeste.





"Estas ruas são as mesmas de sempre"

Parece que precisamos passar por esse emaranhado de vielas para chegar à base dos Ratos de Esgoto.

Os rufiões estão nos olhando por trás dos prédios esfarrapados e das ervas daninhas.

"Olhando~?"

"Eles parecem mais assustadores hoje nanodesu"

Tama e Pochi parecem inquietas enquanto observam cuidadosamente os arredores.

Isso é provavelmente porque eu pareço um alvo fácil com minhas roupas caras.

"E aí mano, parecendo bem hoje!"

Um cara que parece um bandido genérico se aproxima de mim e coloca a mão no meu ombro.

Esse odor corporal é muito intenso, por favor, pare de me tocar.

Como o bandido parece estar agindo de forma amigável, Liza está hesitando se deve ou não interceptá-lo.

"O que você quer?"

Eu tenho uma boa ideia de onde isso vai dar, mas vou perguntar apenas no caso.

"Não se faça de bobo, saia com o dinheiro"

O bandido pega a faca que estava escondida na manga e a coloca na minha garganta.

--Sim, eu vi isso vindo.

"Acho que não"

"Hah? Seu merdinha, você ao menos entende a situação em que está?"

O bandido chama, e seus companheiros saem dos vários becos.

Depois de ver isso, Liza prepara sua lança. Tama e Pochi começam a rosnar para eles como se fossem animais de verdade.

"Claro"

Eu pego a faca do bandido entre dois dedos.

Ele tenta empurrar a faca contra minha garganta, mas ela não se move, não importa o quanto ele tente.

Isso é natural por causa da enorme diferença em nossa estatística de STR.

"É perigoso apontar objetos pontiagudos para as pessoas, você sabe"

Eu jogo a faca nos pés do bandido.

Parece que usei muita força, pois a lâmina da faca fica alojada na terra.

"Seu merdinha! Rapazes, derrubem eles!"

O bandido grita, e alguns de seus homens saltam sobre as garotas-fera.

"Swoosh~?"

"Pochi não será pega tão facilmente nanodesu!"

Tama e Pochi evitam seus ataques.

"Mestre--"

Liza se vira para mim enquanto apara os ataques de uma machadinha e uma adaga com sua lança coberta de tecido.

Parece que ela está perguntando se está tudo bem em lutar de volta.

"Sinta-se à vontade para derrotá-los"

"Seu merdinha!"

Ao ouvir minhas palavras, o bandido pega seu machado e o balança para mim. Você realmente deveria fazer algo sobre esse seu vocabulário limitado.

"Cuide de suas maneiras na frente do Mestre"

Liza facilmente apara o ataque do bandido com sua lança coberta de tecido.

"Saia do meu caminho, sua demi-humana nojenta!"

Desta vez o bandido grita um insulto para a Liza.

"Você acabou de insultar um dos meus amigos?"

Com um sorriso sem emoção, dou um chute em seu peito. Claro, eu me segurei o suficiente.

Se eu não tivesse, ele teria se transformado em uma pilha de carne moída.

O bandido voa para trás alguns metros e bate em uma pilha de caixas de madeira. Ele está sangrando e inconsciente, mas deve viver, já que não tem ossos fraturados.

"V-você está brincando comigo, certo?"

Aparentemente aquele bandido era o líder, e todos os subalternos começam a ficar com os pés frios.

"Alguém mais quer mergulhar nas caixas? Se vocês falarem agora, eu lhe darei a mesma experiência de graça"

Peço gentilmente, mas não há voluntários.

"Nesse caso, peguem esse bandido e saiam daqui"

Depois de ouvir minhas palavras, os subalternos agarram o bandido e o arrastam enquanto fogem.

>Habilidade Adquirida: [Ameaçar].

"Este lugar é certamente arriscado"

Não imaginei que homens armados tentariam nos roubar em plena luz do dia.

Da Bolsa Garagem, pego duas espadas curtas do Armazenamento e as entrego para a Tama e a Pochi.

Mostrar nossas armas pode ajudar a manter os bandidos longe.

"Não as use até que eu dê permissão"

"Aye!"

"Okay, nanodesu!"

Elas colocam as espadas em seus quadris, então fazem uma pose enquanto acenam para mim.

No caminho, fomos atacados por bandidos mais duas vezes. Não tivemos chance de fazer nada desde que a Liza os eliminou.

"--Por aqui?"

"Sim, deve ser logo depois da próxima esquina"

Assim como Liza disse, nosso destino aparece.

"Hã~?"

"É diferente de alguma forma nanodesu"

Tama e Pochi inclinam a cabeça em confusão. Parece que este prédio abandonado costumava ser a base dos Ratos de Esgoto.

Há algumas pessoas morando no prédio, mas minha tela AR me diz que são apenas posseiros.

"Oi! Você aí"

Uma voz intimidadora nos chama. Apesar do tom ameaçador, esses dois são guardas que patrulham a Cidade Seiryuu.

Eles pareciam desconfiar das garotas-fera armadas, mas relaxaram depois que expliquei que as garotas eram apenas minhas guarda-costas.

"Então? Que negócios você tem aqui?"

"Viemos encontrar os escravos demi-humanos que viviam aqui... mas parece que eles já se mudaram. Estamos meio perplexos sobre o que fazer a seguir"

"Os Ratos de Esgoto foram os criminosos que trouxeram um demônio para a cidade. Eles foram condenados por traição e executados há algum tempo"

"Você não viu a execução pública?"

--Gegeh.

Este mundo com certeza é violento.

"Seus escravos também foram executados?"

"Não, os escravos devem ter sido vendidos de volta aos mercadores após serem questionados"

"Você sabe qual comerciante?"

"Por que eu deveria dizer--"

O guarda parece irritado, mas eu coloco uma moeda de prata em sua mão.

"--Hmph. Vá para a Loja Mossu. Rua Irode no bairro oeste"

Ele embolsa a moeda e me diz a localização antes de sair.

Enquanto aceno para ele, uso meu mapa para procurar nosso próximo destino.

Não é muito longe daqui.

Tags: [LN] Death March Kara Hajimaru Isekai Kyousoukyoku EXChapter Capítulo 10-1 [LN] Death March Kara Hajimaru Isekai Kyousoukyoku EXChapter Capítulo 10-1Capítulo 10-1 online, Capítulo 10-1 [LN] Death March Kara Hajimaru Isekai Kyousoukyoku EXChapter Capítulo 10-1 [LN] Death March Kara Hajimaru Isekai Kyousoukyoku EXChapter, Rudeus Greyrat

Rekomendasi

Comentários (0)

Apoie

Se gostou do capítulo, considere apoiar os nossos projetos. Sua doação é livre e nossas traduções inteiramente gratuitas. Você também pode ajudar visitando todos os dias a nossa página gerando visualizações e adquirindo produtos que sejam do seu interesse de nossos anunciantes. Muito obrigado pela atenção e tenha uma ótima leitura!