Isekai Maou Lightnovel 9-3-3

Posted



Faltando ao Banquete de Celebração
Parte 3

Entrando em seu quarto...
Rose estava à espera de Diablo sem a parte superior de seu uniforme de empregada. Os grande seios dela estavam completamente a amostra!
— Que coisa maravilhosa é essa! 
Ele acabou expressando os seus pensamentos internos sem querer.
Saindo a pouco de uma situação açucarada com Mei, que mais parecia um mangá shoujo, e agora indo parar direto no enredo de algum jogo erótico, mais nada fazia sentido.
Rose estava falando normalmente, com uma expressão que fazia parecer que aquilo tudo não era mais do que o normal.
— Mestre, já está tudo preparado.
TUDO MENOS O MEU ESTADO MENTAL!
— Pr- preparado para o quê?
— Obviamente, preparado para que o Mestre... coloque em mim...
— PODER MÁGICO! COLOQUE PODER MÁGICO!
Eu adoraria que você não omitisse a parte mais importante!
— Sim, o incrivelmente grande e consistente do Mestre... entrando em Rose...
— ESTÁ FAZENDO ISSO DE PROPÓSITO, NÃO É???
Ela olhou para Diablo com a face inclinada para o lado, dando a entender que realmente não sabia do que ele estava falando. Caso tentasse ir mais afundo nessa questão, tudo que lhe esperava era um pântano sem fim de réplicas que só fariam sua imagem ir cada vez mais para baixo.
— ...Poderia, ser que o Mestre não esteja se sentindo disposto hoje? A batalha de mais cedo o cansou?
Certamente ele estava cansado, mas um Rei Demônio dizendo “Vou dormir cedo porque estou exausto”, soando como se fosse algum tipo empregado de escritório ao fim do expediente, seria apenas humilhante.
— Hmph... Quem você pensa que eu sou? Não há a menor possibilidade que um inimigo daquele nível me fizesse ao menos suar!
— Ahh, como esperado do senhor, Mestre!
— Se é poder mágico, então te darei tanto quanto quiser!
— Mestre, muito obrigada! A felicidade é tamanha que este corpo está tremendo de ansiedade!
Vendo uma garota completamente nua da cintura para cima se curvar até que suas costas ficassem visíveis o fez pensar — e se ao invés de Cross Reverie, eu tiver sido transportado para o mundo de um jogo totalmente diferente?
Rudy: Um jogo +18 pelo visto  ( ͡° ͜ʖ ͡°)
— D-de qualquer forma, sente-se. Ah, espera, isso é impossível, não é?
Rose tinha o mesmo peso que um cavaleiro com seu equipamento e o cavalo. Só em o piso do segundo andar não ter cedido até agora mostrava a qualidade da estrutura daquele local. No entanto, se ela sentasse na cama ou nas cadeiras, ou qualquer que fosse a mobília, seria esmagada na mesma hora.
Acho que vou ter que pedir para ela continuar em pé.
Rose colocou as mãos na parede e virou as costas na direção dele.
— Se o senhor permitir, Mestre... Rose gostaria que o poder mágico fosse colocado nas áreas danificadas.
— Como queira.
Nas costas, hein? Finalmente alguma decência.
Os músculos ao longo da coluna dela tremeram, como se tivesse sofrido um arrepio.
— O senhor poder abraçar Rose por trás e colocar as mãos firmes nos seios dela.
— ...Desculpe, pode repetir?
Eu ouvi mal ou ela me disse para agarrar os peitos dela?
— ...Hmm, esta Rose... não se importará mesmo se o Mestre a pegar com força.
Enquanto Diablo ainda estava confuso, Rose pegou as mãos dele gentilmente por trás. Não fazia nem um minuto desde que havia feito a impressionante declaração que daria tanto poder quanto ela quisesse e, mesmo que decidisse faltar com a sua palavra, jamais faria algo horrível como empurrar para longe as mãos de Rose em um momento como esse.
Porque era a vontade dela, Diablo a deixou guiar suas mãos, deslizando em volta daquele corpo, até chegar aos seios na parte da frente. Suas mãos afundaram naqueles montes arredondados.
TÃO MACIOS!
O corpo de Rose tremeu.
— Haffun!
— Do-doeu ema algum canto!?
— ...Dor? certamente que não, Mestre. É apenas... que Rose ficou tão feliz... um emoção tão forte está saindo de dentro dela!
— Err... então por que você tremeu...?
— Porque ela não resistiu e já...
ELA JÁ O QUÊ!?
— Significa que a recarga terminou, certo? Está satisfeita agora?
— O primeiro tanque de serva foi completamente preenchido, mas ainda há muitos outros para o senhor preencher, Mestre...
— Entendo, mas nesse caso, não tem problema em lhe abastecer por aqui?
— Não, não tem... ah...aí é....ah!
— E-ei! O que houve? Eu ainda nem...
“Fiz nada”, era o que ele queria dizer, mas contrariando a sua própria vontade, seu instinto masculino corria à solta, fazendo seus dedos se moverem sozinhos.
MAS QUE PORRA É ESSA!? ELES ESTÃO SE MOVENDO! MEUS DEDOS ESTÃO SE MOVENDO AO REDOR DOS PICOS!
E então, o topo das montanhas macias de Rose se tonaram enrijecidos por entre os dedos médios e anelares de Diablo. Com estes mesmo dedos, atiçava e pressionava o montes de rose, fazendo-a estremecer.
— Hah! Nnu... Nnn... Mestre... aí é...
— Co-como está?
— Rose está...! Nada bem... ela, hafu!
— Nada bem...
Ao que parecia era o que ainda restava de razão em Diablo que não estava nada bem. Deixando-se carregar pelo fluxo, passou a atiçar mais aqueles objetos misteriosos em suas mãos. Ele os pressionava, então acariciava, os soltou e então os puxou para cima. Por fim, decidiu fazer o oposto e os empurrou para dentro.
— HYAGU!!
Estando em seus braços, Diablo pode sentir quando o corpo de Rose estremeceu e reclinou-se sobre ele. Os ombros dela ainda tremiam.
Diablo engoliu em seco.
— Vo-você chegou lá de novo?
Ao limite máximo de outro tanque, ele quis dizer. No entanto, Rose balançou quietamente a cabeça para os lados.
— Mestre...
— Nn?
— O senhor não pode apenas brincar com Rose... precisa colocar poder mágico também...
— AHH!
Sua consciência havia sido tão absorvida pelas montanhas e os seus picos que esqueceu completamente de derramar o seu poder dentro dela! Em outras palavras, durante esse tempo todo, nenhuma recarga foi feita.
Isso significa que até agora tudo o que estava fazendo era apreciar o corpo de uma mulher?
Como é que eu pude fazer uma coisa dessas!
Como imaginava, o cansaço de lutar contra o grande Rei Demônio foi tanto que sua habilidade de raciocinar havia decaído.
— Tudo bem! Vou terminar isso de uma vez por todas!
Diablo focou sua consciência mais uma vez na palma das mãos e, assim como fazia ao conjurar um feitiço, concentrou o poder mágico sobre elas.
— Nn...Nnn... Mestre, assim mesmo. Ter o poder mágico... ter o senhor entrando em Rose...hafuu... é fantástico... Ah, hahh.
Ele sentia como se afundasse na pele dela ainda mais do que antes. Embora Rose fosse uma Magimata, Diablo não pôde deixar de ter a impressão de que aquela pele sintética estava suando. O limite que separava o que era a pele dele e a dela começou a sumir de sua mente, criando a ilusão de que as mãos e os seios se juntavam em um só.
— Que tal agora?
Rose já não conseguia conter sua voz e agora gemia um tom mais agudo que antes.

— AH! AAAAHHHH! MESTRE, MESTRE, MESTRE, INCRÍVEL.... O SENHOR É TÃO INCRÍVEL! É TÃO ROBUSTO! MAIS... ME DÊ MAIS... MAIS FUNDO... AH! AH! HIIIAAAAA!!!

How to Not summon a Demon Lord Ilustração do volume 09 da Lightnovel

Os gritos de prazer dela eram tão intensos que pareciam chegar aos outros quartos.
Se Rem ouvir isso vai ficar com raiva de mim de novo, não vai?
Pensando que deveria recarrega-la o mais depressa possível, ele despejou seu poder com a mesma intensidade que usaria em um de seus feitiços supremos.
Em resposta, o corpo de Rose se agitou em seus braços de uma maneira que o fez se preocupar se ela acabaria quebrando. No entanto, com uma expressão satisfeita no rosto, Rose deitou-se no chão do andar, ainda com a metade superior de seu corpo despida. Em uma situação como essa, o normal seria que ele a carregasse até a cama, mas por razões de força maior (força peso) não seria possível.
Uma outra questão importante que o incomodava agora era saber aonde pôr os olhos nesse tipo de situação, por isso, Diablo decidiu que o melhor seria ao menos cobrí-la com um cobertor e foi exatamente o que fez.
Tendo finalmente chegado a um ponto onde poderia ter um descanso, ele deixou escapar um suspiro pesado.
— Fuu... estou acabado... — Murmurou para si.
Mas então, alguém bateu na porta.
Será que Rem ou Shera retornaram? Não, não, se fossem elas não teriam batido.
Diablo colocou uma expressão firme no rosto e respondeu.
— Hmph... Quem ousa me perturbar a esta hora? Se não tem medo de enfrentar a fúria de um Rei Demônio, vá em frente e abra.
— Ah, hmm... sou eu, mas...
A voz que veio do outro lado era a de um homem e Diablo teve a vaga impressão de já tê-la ouvido antes. Sua capacidade em recordar a voz das outras pessoas era tão ruim quanto à de recordar os rostos.
— Você tem a minha permissão, entre.
— Con-conlicença!
Aquele que entrou foi um soldado de armadura que Diablo conhecia.
— Ah, se não me engano você era...
— Bo-Boris! É Boris!
Se sua memória não falhava, aquele era um soldado encarregado de defender o forte Ulg. As razões pelas quais tinha vindo a um lugar como aquele o deixaram preocupado.
— Como você descobriu este lugar?
— Ah... Diablo-san, é porque tem uma equipe de vigia acompanhando a você e a seu grupo. Apesar de não dar para ouvir as conversas dentro do quarto, se for apenas o seu paradeiro, tanto a Guilda dos Aventureiros quanto o Exército sabem.
Agora que ele tinha ouvido isso, Sylvia havia lhe contado alguma coisa parecida e que inclusive tinha sido colocada uma equipe especial para vigiar Krum. No entanto, se ele dissesse que não tinha notado seria embaraçoso.
Diablo deu de ombros.
— Ahh... então aqueles insetos eram para isso. Avise-os depois para que evitem de chegar muito perto outra vez, se não reduzirei todos a cinzas.
— Si-sim senhor!
Boris sendo alguém excessivamente sério, bateria continência para cada pequena coisa que lhe dissessem.
— E então, você tem negócios a tratar comigo?
— Ah... Eu, Boris Marcus, Soldado de Infantaria do 13º Regimento das Tropas Estacionadas do Reino de Lifélia em Faltra, venho convidar o Aventureiro Diablo-dono para o banquete de celebração.
Como se tivesse praticado isso às pressas, ele fez o convite formal em um tom monótono. Quanto a Diablo, ele apenas inclinou a cabeça.
— Banquete de celebração, você diz?
— Sim! Pela subjugação do Grande Rei Demônio e o sucesso na campanha de defesa da cidade de Faltra, este banquete é em celebração a estas duas conquistas!
— A barreira ainda está destruída, não está?
Além disso, os Seres Demoníacos ainda não haviam recuado, então não era possível dizer que a situação já estava resolvida. Além disso, conhecendo a personalidade de Lamnites, não achava que ela poderia permitir este tipo de evento festivo.
Boris parecia ter alguma coisa difícil para dizer, com seu olhar vago indo em todas as direções.
— Erm... isto foi decidido pelo conselho da cidade.
— Conselho da cidade?
— Sim, Faltra pe governada pelo Senhor Feudal, mas em adição a ele, existe o Conselho da Cidade formado por nobres influentes da cidade. Eles controlam coisas como direitos de comércio, agricultura e não apenas os impostos do governo local, como os impostos de outras áreas como...
Diablo balançou a mão para que ele parasse.
— Chega, não estou interessado na administração da cidade. Não traga questões políticas para mim.
— Me, me desculpe. Mas, em outras palavras, como foi gente importante que decidiu, essa questão não tem nada a ver com lorde Galford ou Lady Lamnites. Por isso, eles queriam que você, Diablo-dono, o herói com o maior mérito na guerra, participasse.
Se eu for, vou ter que fazer alguma coisa como um discurso num palanque? — Só de pensar isso já lhe causava um frio na espinha.
Diablo olhou bem em seus olhos.
— Está me dizendo que lhe mandaram aqui me chamar para uma coisa idiota dessas?
— Então foi exatamente como pensei... Diablo-san, desde que lhe conheci, tive a impressão que você odiava esse tipo de destaque. Mesmo antes quando derrotou aquele grupo de mais de 100 Seres Demoníacos na Ponte do Forte Ulg, no final, o anúncio que foi feito apenas dizia “os Seres Demoníacos foram expulsos com a com a colaboração de Aventureiros”.
— É exatamente assim.
— Eu realmente sinto muito. Dito isso, queríamos ao menos que alguém viesse aqui para lhe dar algumas palavras de gratidão.
Bem, se for só isso...
Ele absolutamente não iria, mas se a celebração fosse ocorrer sem qualquer tipo de contato com o grupo que havia derrotado o Grande Rei Demônio, seria uma grande vergonha. Para vir expressamente dizer a ele sobre isso, mesmo sabendo que o convite seria recusado... era uma missão realmente ingrata.
— Você sempre age assim, não é?
— Haha... bem, já que concluí a missão de lhe convidar, aqui, ao menos aceite isto. É um convite escrito.
Boris o entregou um envelope.
— Hmph! Algo desse tipo é...
— Tema algumas moedas de ouro dentro para cobrir despesas com os preparativos.
— ...Em consideração a você irei aceitá-las.
O Grupo de Diablo sempre teve uma enorme demanda por recursos. Boa parte disso por causa dos gastos com a alimentação de Krum.
Boris bateu continência novamente.
— Me encarregarei de informar a sua ausência. Diablo-san... nossa geração cresceu ouvindo as lendas do heróis Allen a partir de nossos pais e avós. Mas, a partir de agora, os esforços do Herói Diablo serão passados adiante. Ter sido capaz assistiu aos seus feitos com meus próprios olhos é o maior tesouro da minha vida.
— Ah... — Sendo subitamente elogiado, as palavras não conseguiram ir para fora.
Depois de pedir desculpas e fechar a porta, o som dos passos de Boris foi definhando até desaparecer. Quanto a Diablo, ele caiu de costas na cama, olhando para o teto e então lentamente fechou seus olhos...


Se você gostou deste capítulo, CLIQUE AQUI, solucione o Captcha e aguarde

por 5 segundos, assim estará apoiando a Anime X Novel!





Share on Google+

Faça uma busca aqui por mais Novels e Mangás em nossos Sites Parceiros!

You Might Also Like

Comment Now

0 comentários